500 mil desconhecidos fizeram a minha noite.

Foram mais de 500 mil votos que levaram o System of a Down ao Rock in Rio 2011.

Já estávamos em Maio e o festival seria em Outubro, eram apenas cinco meses de distância e eu surtei muito quando fiquei sabendo que o SOAD havia sido escolhido.

System é a banda preferida do meu irmão, por consequência a que eu mais ouvi ao longo da minha vida. Não posso dizer se são os meus preferidos, porque sou péssima em eleger preferidos, mas o fato é que SOAD é dono de uma parte imensa do meu coração, da minha setlist e do meu hall de músicas favoritas.

Os motivos são vários. Eles surgiram em 1992 e desde então fazem músicas com um cunho político muito intenso, isso sem contar a linguagem metafórica que utilizam. Pessoas “quadradas” ao lerem as letras de System acham que são um bando de drogado nonsense, mas as músicas deles são profundas demais, exigem reflexão para serem compreendidas e quando você reflete percebe que as letras são maravilhosas.

Se fossem só letras boas ainda era pouco, o detalhe é que além disso Serj Tankain tem um domínio vocal avassalador. Na mesma música ele é capaz de fazer os vocais gravíssimos que um rock pesado exige e segundos depois atinge os agudos deliciosos que só ele é capaz de fazer. Daron Malakian apavora na guitarra. Ele toca numa velocidade surpreendente e de uma maneira tão empolgante que torna-se impossível não amá-lo. Isso sem contar que Daron gira, pula, se joga no chão e não perde nenhuma nota! Além de ser um mestre na guitarra o cara ainda faz backing vocals apavorantes, é maravilhoso! E tem o Shavo Odadjian que toca baixo de uma maneira surpreendentemente fodástica também. A velocidade e a destreza são maravilhosas! Isso sem contar seus já clássicos passos de dança e seu olhar lunático sobre a plateia. Shavo faz backing vocals em determinados momentos também e ele tem uma barba muito legal! Ela é comprida e ele prende com vários elastiquinhos, muito legal mesmo! Fora isso ele canta rap numa banda paralela. O cara canta rap e faz parte de uma banda completamente rock ‘n roll. Foda. E o John Dolmayan? Porra o cara manda MUITO bem na bateria! E ele toca pandeiro também e ele é super simpático em entrevistas e inteligente demais também.

Fora todas as maravilhas individuais desses quatro caras fodásticos, a banda é linda também! Eles tem um tom super teatral. São diversificados e engraçados à sua maneira. Eles realmente parecem que fizeram aulas de teatro, aquelas que te dão noção de grupo e consciência corporal. É lindo de se ver.

Então, System vem para o Brasil pela primeira vez na vida! Vão pro Rock in Rio! Na hora que eu fico sabendo trato de convencer meus pais a permitirem que eu vá com o meu irmão e meu pai deixa, mas quando vou comprar os ingressos já haviam sido esgotados! Quando 500 mil pessoas votam pela presença de uma banda, assim que os ingressos são liberados eles acabam. Aprendi isso de uma maneira trágica, mas aprendi. A sorte foi que o SOAD foi bonzinho e além do show no RJ resolveu fazer um em SP, um dia antes. Nesse o meu irmão conseguiu ir, mas recusou a me levar com medo dos moshings que viriam a se formar e dos quais ele adoraria participar, não tendo assim como cuidar de mim (a irmãzinha mais nova e frágil), tudo bem fiquei extremamente feliz por ele poder comparecer, ele veria o Serj e ouviria entusiasticamente todas as suas músicas preferidas, seria lindo!

Então ele foi ontem ver SOAD e foi um dia muito triste e solitário na minha vida. Primeiro porque o meu irmão não estaria em casa e segundo porque ele tinha ido ver um show que eu venderia minha alma para poder estar junto. Então ele voltou hoje, completamente rouco, mancando e com alguns machucados ao longo do peito, contando detalhadamente como foi a experiência e eu fiquei com mais vontade ainda de ter estado lá. Principalmente quando vi vídeos do show no youtube.

O fato é que tudo já estava mais do que preparado, eu assistiria System no Multishow essa noite. Assisti todos os shows da noite, como se eu realmente estivesse lá e eu me diverti horrores com todos, esse realmente deveria ter sido o meu dia do RIR. O show foi simplesmente MARAVILHOSO, foda. O melhor show da minha vida.

Talvez não tenha sido o melhor show do rock in rio, mas para mim foi, porque aquele show cantava a minha existência, sabem? Eu estava no meu sofá arfando em cada uma das músicas, cantando e me tremendo inteira ali. Minha mãe ficou até assustada. E eu chorava, não conseguia não chorar. Foi lindo. Simplesmente lindo.

Daí o Serj parou de cantar para falar sobre os indígenas brasileiros e sobre como o ser humano é idiota por estragar o próprio planeta e porra… Além de ser uma banda fodástica os caras têm conteúdo, têm essa gana política, essa vontade incessável de mudar o mundo.

Essa foi a minha noite. A melhor noite da minha vida até agora e eu nem precisei sair de casa para isso. Se eu tivesse saído teria sido bem melhor, sem dúvidas.

O fato é que o John deu uma entrevista pro Multishow depois do concerto e disse que o SOAD pretende fazer um novo cd, com novas músicas alucinantes e que falem muito da geração atual. Agora passarei longos meses da minha vida imaginando uma trilha sonora do System para ela.

Esses caras são muito fodas.

Um ode a eles!

“Free thinkers are dangerous”

Voltem e voltem num dia que eu possa vê-los.

0 thoughts on “500 mil desconhecidos fizeram a minha noite.

Comentários: