Não lembro ao certo o que me fez começar a ver Skins, o que quer que tenha sido, foi uma das melhores coisas que já me aconteceu.

A primeira geração realmente me encantou com seu modo simples e doido de ver a vida. Cassie inspirou-me com todos os seus “Oh, wow, lovely” e a geração era realmente isso: amável. Quando fui apresentada à segunda geração, recebi com uma certa defensiva, não gostei da ideia de não poder observar mais a história que tanto amava, mas com o passar do tempo comecei a apreciar também esta geração, afinal os personagens eram lindos e completamente pirados. Acho que foi a geração mais pirada, Effy chegou a me dar muito medo em uma certa época e o fim foi extremamente decepcionante e sem sentido, pelo menos ao meu ver. Quando terminou achei que jamais veria Skins novamente e que se eu visse, não seria baseado na beleza e magnitude da minha amada primeira geração.

Mas então conheci a terceira geração e… Que geração.

1 – Frankie

A esquisita que parece menino, mas é menina. Filha adotiva de um casal homossexual que se mudou para Bristol em busca de um recomeço, pois viveu sempre sendo considerada A estranha e sofreu desgraçadamente com bullying. No decorrer da temporada vai descobrindo uma porção de amigos, uma vida nova com pessoas que a aceitam do jeito que ela é, mas mesmo assim, passa-nos a impressão de que ainda há muito que precisa saber sobre sí mesma.

2 – Mini

A princípio aquela patricinha nojenta que você reza para explodir porque está estragando sua série favorita, depois se revela como uma garota frágil que vive de aparências e que na verdade ainda não se descobriu realmente. No início ela namora o cara mais popular e tal, mas logo percebe que não é isso que ela quer e passa o resto da temporada sozinha. Há indícios que nos fazem acreditar que ela vai se apaixonar pela Franky em algum momento, o que seria extremamente irônico, pois nos primeiros episódios ela simplesmente abomina a Franks.

3 – Nick

O jogador de futebol fodão da escola, namorado da Mini, repleto de amigos retardados. No fundo, um garoto com sérios problemas familiares, sem amigos verdadeiros e que acaba encontrando seu lugar ao lado daqueles que antes eram considerados “os estranhos” por ele. Sob minha concepção, é um personagem que deveria ter sido mais explorado.

4 – Alo

O garoto da fazenda. Ele tem um trailler e vive com seu amigo Rich pela cidade, é virgem e extremamente pervertido, seu sonho máximo é ter uma namorada com quem possa transar. Um ruivo engraçado e que, incrivelmente, não me encantou muito. Seus pais são fazendeiros e ele acaba sabendo coisas bem inusitadas, como se encontrar numa floresta a partir de bostas de cavalo. É um garoto bom, mas bastante perdido na vida. Fiquei decepcionada por ele não encontrar ninguém para se apaixonar, espero que na próxima temporada ele finalmente tenha a vida divertida que merece!

5 – Liv

A garota rock’n roll da história. Tem uma família completamente desestruturada e uma vida muito desgraçada. É a melhor amiga da Mini até certo momento, depois param de se falar e ela fica praticamente sem amigas, até começar a falar com a Franky. É completamente louca e impulsiva e é realmente capaz de acabar com a própria vida para fazer quem ama se sentir melhor. Uma personagem extremamente densa e linda que me encantou completamente.

6 – Matty

O cara que não teve um episódio só para ele. Isso me deixou completamente decepcionada, pois tudo que sabemos sobre ele é baseado em sua participação na história de vida da Liv e do Nick. Ele é irmão do Nick, conhece a Liv e se apaixona por ela, fazem coisas bem loucas juntos. É extremamente fofo e lindo, porém muito conturbado também e a partir do momento em que surgem dúvidas sobre quem ele realmente ama, sua história fica ainda mais interessante.

E agora o casal mais perfeito de todas as temporadas de Skins que eu já vi. Não, de todos os seriados que eu já vi. O casal que mudou a minha vida, para sempre.

7 – Grace Violet Blood

A menina meiga, amável, dócil, “menininha do papai”, que procura ser boa com todos, tirar notas boas, ser impecável em tudo e descobre que na verdade vive uma vida extremamente vazia, onde não pode ser quem realmente é. Alguém que passa o dia inteiro interpretando, para ser exatamente quem as pessoas precisam que ela seja. Alguém que se descobre através do amor e que prova para o mundo inteiro que não há diferenças que não possam ser vencidas, que não há amizades que não possam ser retomadas e que histórias infantis podem sim ser levadas a sério, podem basear sua vida para sempre, podem te ajudar a conseguir o que realmente quer. Grace é um exemplo de coragem e bravura, de que não há limites sobre quem podemos e queremos ser. Ela é capaz de provar que tudo é possível, desde que alguém acredite que é. Ela me fez redescobrir o amor, redescobrir Shakeaspere. Grace é o grande nome da temporada, para mim.

8 – Richard Hardbeck.

Simplesmente não tenho palavras para descrevê-lo como mereceria. É um cara daqueles que qualquer um olharia, acharia estranho e passaria reto. Tem o cabelo mais lindo do mundo, o rosto mais perfeito e foi o principal motivo para eu assistir a todos os episódios o mais rápido possível. É apaixonado por música, principalmente Heavy Metal, é metaleiro MESMO. Seu sonho é namorar uma metaleira e Alo vive querendo obrigá-lo a perder a virgindade. Grace é totalmente seu oposto, a menininha certinha que anda com a chata da Mini, mas ela é atriz e ela vai ensiná-lo a “seduzir” certa metaleira e então ele descobre que atrás da menina delicada que ama balé, há uma menina que sabe muito bem apreciar heavy metal. Eles vão a um lindo show juntos e é o episódio mais legal da temporada. Tanto que pararei de dar detalhes, porque todos devem assistí-lo. Richard é o cara perfeito. Cada vez que eu via a série imaginava “Porra, por que não existe um desses por aqui?”. A grande merda aconteceu no último episódio, onde o Alo -idiota- fez com que cortassem seu lindo cabelo. Ainda não acredito que cortaram o cabelo do Rich. Não acredito e nunca acreditarei.

Com todos esses personagens densos, dá para se imaginar o tipo de história que surgiu. O legal da série é que cada um deles tem seu próprio episódio, não há protagonistas, todos são protagonistas, cada um é o protagonista de sua própria história. E isso é uma lição muito fodástica, porque na vida real nós somos protagonistas de várias histórias próprias também e ao mesmo tempo somos coadjuvantes das histórias das pessoas que nos cercam. Skins é aquele seriado que mostra os jovens como realmente são. Eu acho que já falei disso aqui trocentas mil vezes, mas nunca vou me cansar, porque… Porra. Skins mudou a minha vida. Completamente. E, cara… Tomara que a sexta temporada saia logo! Preciso saber como vai terminar a história dessas 8 pessoinhas aí! E preciso do filme também! O filme de Skins vai ser MARAVILHOSO, vão juntar personagens das 3 gerações! Imaginem? Sid+Cassie+Rich+Grace? Vai ser AMAZING. E se não sair no cinema aqui no Brasil, vou comprar o dvd original no dia que lançarem. E se você perde seu tempo assistindo coisas como “Glee” ou “House” ou qualquer outro seriado que, provavelmente, é muito bom, perca seu tempo vendo Skins também, meu caro jovem, porque garanto que será aquele tempo perdido do qual você não se arrependerá.

P.S.: O episódio 2 e o 7 são os melhores.

0 thoughts on “A cidade de Bristol

  1. SKINS, SKINS, SKINS! Ah, me deixa gritar Mayra porque você é fã como eu e sabe o quanto essa série é especial. Achei essa 5ª temporada simplesmente maravilhosa, me apaixonei perdidamente por esses personagens lindos. Só não gosto muito da Liv, mas… enfim. E acho que o Matty não teve episódio justamente porque querem manter essa aura de mistério em volta dele. Caramba, Skins também mudou a minha vida! É, atualmente, a minha série favorita <3 Já estou até tristinha por não ter episódio na próxima semana. E, poxa, eu gostei do Rich ter cortado o cabelo, hahaha! Achava o antigo meio fake e ensebado, sei lá. Mas como a Grace disse, o metal está dentro dele (: Que final incrível foi aquele não é? Como aqueles personagens são profundos, complexos, INCRÍVEIS! AAAAH, poderia ficar aqui o dia inteiro te contando o quanto eu amo essa série, o quanto eu sofro, choro, dou risada com eles… Só que ama Skins sabe o que realmente significa. É muito bom! Adoro ver fãs de Skins tão apaixonados quanto eu, hehe. Vou morrer de saudades até a sexta temporada no começo do ano que vem… ai ai ai. Um beijo enorme!

    1. Eu não gosto muito do Nick, acho ele completamente desnecessário. Mas queria muuuito um episódio do Matty *-* A história dele deve ser muito linda! E AAAHHH *–* É tão difícil encontrar pessoas que amem skins tanto quanto eu, fico muito feliz de saber que você existe Tary! haha Quanto ao cabelo do Rich… Eu sou completamente apaixonada pelo Rich e para mim aquele cabelo de Justin Bieber fez um pouco da magia dele ir pro brejo, porque agora você não olha e sabe que ele é o metaleiro, você tem que ter assistido todos os outros episódios para saber isso. Sei lá… Espero que o cabelo dele cresça logo, como a Grace disse “nunca mais corte seu cabelo”. Gosto dela justamente porque ela entende até minhas neuras com cabelo UHSAUHSAUHSAUHASHUSA Nem acredito que vai demorar um ano pra poder vê-los novamente! Até lá reassistirei váaarias vezes, como sempre faço haha
      Beijos Tary!!

  2. Uau, eu nem sabia que Skins tinha três gerações… só conhecia a primeira e a segunda. Vou ser bem sincera, não gosto muito da série. Só que eu não posso falar muito, já que só vi o primeiro episódio, e primeiro episódio de série, primeiro capítulo de livro, primeiros minutos de filmes são sempre ruins. Um dia ainda terei coragem de continuar vendo, quem sabe…

    Beijo!

  3. Aaah Skins é perfeito! Minha série favorita. Eu gostei de todas as gerações, mas ainda tenho um carinho muito grande pela primeira. Cativou meu coração pra sempre. haha.
    Dessa geração linda, o personagem que eu menos gosto é do Nick, mas ainda não sei direito o porquê.
    Amo de paixão Grace e Rich! Casal mais fofo de todos.
    Beijo!

Comentários: