Amigos, porque perto deles o resto é apenas “resto”.

“Só não tenho paciência e, como já disse, não sou persistente, nem um pouco. Então quando eu vejo que as coisas estão ficando enroladas e cansativas demais, cresce o enjoo vindo de minhas entranhas e pedindo desesperadamente para que eu me afaste de tudo, me afunde em meu próprio universo e siga em frente, antes que seja tarde, antes que tudo se repita, antes que doa tanto, de novo. Mas eu deveria saber que ninguém me entenderia, é impossível compreender alguém que não se compreende.  No dia que alguém me entender não terá mais graça continuar existindo, teria tudo se tornado apenas monótono demais  para que valesse a pena. Eu só queria poder agir conforme sinto, sem restrições, sem medo, mas não consigo. Sou covarde demais para tal.  Sou covarde, uma tremenda fraca covarde. Apenas mais uma. Apenas mais uma insgnificante jogada às traças. Para com tentativas frustradas tentar mudar algo. Frustrando-se, novamente. Sinto como se eu fosse apenas um foguete. Surjo, explodo e me dissipo numa facilidade tão grande,  uma instabilidade tão profunda que não acho que valha a pena. Não recomendo a minha convivência a ninguém são. As pessoas deveriam perder tempo com coisas mais úteis, não comigo. E, bem, não acho que você ou qualquer outra pessoa possa fazer algo para mudar, só queria que alguém me abraçasse e dissesse que tudo vai ficar bem, porque eu valho a pena, queria valer a pena para alguém, queria alguém com coragem  para admitir que eu valho a pena. É isso.

O que é valer a pena para alguém, na sua concepção?

Ser o motivo para alguém sorrir, ser a pessoa em quem alguém pensa quando está triste, ser o abraço que alguém necessita, ser importante e especial o suficiente para que tenham vontade de continuar ao meu lado, mesmo com toda a insensatez  que agrego.

nesses parâmetros, eu seria uma pessoa que poderia se encaixar, só como um exemplo. mas de certa forma,  você não quer que uma pessoa seja assim.”

Sim. Isso foi uma conversa no MSN com o meu melhor amigo. Sim, eu tenho um melhor amigo e sim, amigos são as melhores  coisas que a gente poderia ter. Sinto-me mais aliviada agora, mais viva, pronta para continuar. É. Obrigada.

Mas, bem, eu deveria parar de usar esse blog para escrever essas coisas, como o professor Pascoalete me disse uma vez, as pessoas não querem ler sobre meus sentimentos. O problema é que eu quero muito falar sobre eles.  Caso você não esteja interessado, há vários outros blogs na lista “links”, divirta-se. Aqui só tem essas babaquices  que eu penso, é. “Coisas que eu penso”, é para isso que esse blog serve.

Comentários: