BEDA #10 Sobre Comer

Nunca fui do tipo de gente que gosta de comer e recentemente agreguei um novo motivo para tal: comer é perda de tempo.

Parei pra pensar na quantidade de tempo da minha vida que desperdicei escolhendo o que comer, sentando, comendo de fato, esperando a sensação de “tô cheia” passar, para que duas horas depois eu sinta aquele buraco no estômago absurdo e queira enfrentar todo o ritual alimentício novamente. Em “Os Sem Floresta” aprendi que enquanto os animais comem para sobreviver, nós humanos vivemos para comer. Muito tempo de reflexão e observância acerca desse fato devo vos informar de que é verdade. E as vezes cansa.

Tem dias que o almoço é tão bom e que você comeu tantas coisas diferentes e gostosas em um prato tão cheio e fechou com uma sobremesa maravilhosa que você nem esqueceu e aceitou ainda a ideia de ter tido a refeição mais gostosa do universo e tã dã a fome aparece de novo. Lógico que por mais da metade da minha vida eu tentei barrar esse artifício biológico chamado fome ficando horas e horas sem comer e comendo pouco, tudo pra ver se a bendita aprendia a diminuir. Minha mãe, preocupada com a anorexia e outros distúrbios alimentares, sempre ficou muito chateada com a situação. Só que a ideia nunca foi ser infinitamente magra e deixar as costelas aparecendo, isso aconteceu involuntariamente. Eu só não tenho paciência pra comer.

Aí vocês perguntam: como é que alguém que dorme a maior quantidade de tempo possível reclama do tempo perdido para comer? Eu respondo que dormir é diferente, porque ao invés de você simplesmente perder tempo e engordar, há a oportunidade de observar novos mundos e experienciar coisas únicas através dos sonhos. Dormir é abrir portas para um mar de possibilidades que estavam adormecidas nos nossos inconscientes, é entrar em contato com nós mesmos. É descansar. É não sentir tanta fome. Dormir é um paraíso. Quando a gente sonha que está comendo então, nada melhor!

Emagreci cerca de 5kg ao longo desse ano e sinceramente não faço ideia de como. Desde que voltei do Paquistão tenho comido muito mais que o normal, porque lá a gente aprende a ter gosto por comer e como é a única coisa pra se fazer, deixa de ser perca de tempo. Aqui, mesmo com os afazeres, a fome vence. A fome anda gigante. Dilacerante. A ponto de terminar uma refeição pensando na próxima e me fazendo ter vontade de perder tempo comendo, coisa inédita na minha vida. É claro que, comparando com as outras pessoas, ainda como pouco, ainda sou fresca, ainda demoro eras selecionando o que colocar na boca… Mas preciso confessar que comer nunca tinha sido tão bom quanto neste ano. E, além de fazer mil exames pra tentar saber porque diabos emagreci e descobrir que estou saudável, sinto dizer que está dramático ver minhas roupas largas e me ver voltando a ter que comprar calças 34/36 e vendo minhas camisetas baby look GG parecerem gigantes. Estou começando a me preocupar. Com a menor quantidade de horas de sono, com a quantidade de tempo que gasto comendo enquanto poderia estar fazendo qualquer outra coisa, com o fato de comer ser BOM e com o fato de as costelas estarem cada vez em maior evidência.

4 thoughts on “BEDA #10 Sobre Comer

  1. Faz um tempo longo demais que não comento por aqui. My bad, my péssima. Mas aí cheguei logo nesse post polêmico e confesso que fiquei preocupada. Emagrecer tanto assim não parece bom.
    Mas olha, acho engraçada sua relação com comida. Se você já chegou à conclusão de que comer é BOM, por que seria perda de tempo? Quer dizer, quantas outras coisas você não faz só pelo prazer que elas geram? Comer é ótimo, comer coisas diferentes é ainda melhor. Ainda mais que é super possível comer fazendo outras coisas, como ver séries e filmes e ler.
    Promete que tenta comer sem pensar tanto? Sei lá, vai que você consegue.
    Tô com saudade.
    Beijo <3

  2. QUE SAUDADES DAQUI (em caps lock pra parecer que to gritaaaaaaando)

    meu, eu amo comer… COMER EH BOM DEMAIS.
    tipo, se eu vou sair pra dar uma volta e essa volta parece ser longa, eu tenho que ter em mente o que vou comer durante o percurso, sabe? tipo, “vamos até o centro da cidade pagar uma conta… MAS vamos passar nas lojas americanas pra comprar um biscoito de polvilho”, dentre outros exemplos filosóficos sobre comer.

    também estou passando pela mesma coisa. na balança meu peso não muda, o que é bizarro, tendo em vista que eu venho comendo muita coisa e me exercitando pouco. E O BIZARRO TOP: meu pé diminuiu. cara, meu pé diminuiu – ou a indústria de sapatos mudou os moldes, sei lá… e eu, pensando que tinha dado uma engordadinha, fui na c&a comprar um vestido maneiro e PAAAA achei um na seção infantil! ISSO É O MÁXIMO, mayra, não vamos reclamar! quando não achamos roupa legal na parte adulta, #partiuseçãoinfantil e não nos preocupemos, porque se não tiver 16, é capaz que entre um 14!

    um abraço de urso!

    http://www.pe-dri-nha.blogspot.com

Comentários: