BEDA #26 Ciência com Fronteiras

Eu gosto de viajar, como todos já sabem. E tenho muita inveja de quando as pessoas viajam e eu não. O tipo de foto que mais me irrita é de gente em lugares legais que eu nunca fui e provavelmente não irei. Claro que em certos casos faço um esforço para ficar feliz pela pessoa, mas as vezes não dá.

Eis que a CAPES, o CNPQ e o Governo Federal não consideram que meu curso seja ciência. Veja bem, tem “ciência” até no nome, mas aparentemente arquitetura é mais científico do que ciências sociais. O fato é que não tenho direito a participar do Ciências sem Fronteiras e isso me frustra desde o segundo em que descobri. Porque há vagas para mobilidade acadêmica pela própria universidade, mas as implicações burocráticas são muito maiores e acaba não valendo tanto apena.

Quando descobri que dava pra escolher um país para estudar um ano de faculdade, com tudo pago e um benefício mensal para sobreviver, além de dinheiro para um computador e, enfim, tudo que você precisa – exceto viagens fora do itinerário, fiquei maravilhada. Ciências sem Fronteiras é um programa sensacional. O que me deixou mais feliz recentemente foi a previsão de um “Cultura sem Fronteiras”, que aí seria destinado a áreas humanas, ou pelo menos não técnicas quanto as do outro. Infelizmente, as chances de isso acontecer antes de eu me formar são escassas e, pra ser sincera, a essa altura do campeonato nem sei se eu teria coragem de embarcar nessa aventura.

O fato é que nesse semestre cerca de cinco pessoas que eu conheço embarcaram pelo universo sem fronteiras das ciências e eu fiquei realmente feliz pelas pessoas. Afinal, é uma oportunidade fantástica. Mas a inveja bate. Com muita força. E cada foto incrível que eu vejo fico mais agoniada com a sensação de “por favor, aproveite cada segundo, olha que legal essa chance” e me digno a acordar nessa humilde cidade todos os dias, enfrentando as variações climáticas mais absurdas possíveis na menor quantidade de tempo. É complicado. São os momentos típicos que era melhor que a internet não existisse. Ou que eu pudesse estar em vários lugares ao mesmo tempo, porque a vontade é de aproveitar bastante com cada uma das pessoas. Parece incrível. Por favor, se você faz algum dos cursos dito científicos, se inscreva nessa budega. Por favor. Por favor.

One thought on “BEDA #26 Ciência com Fronteiras

Comentários: