Belezas e Fotos de Formatura

A gente não devia se sentir feio, quer dizer… Quem foi que inventou o ideal de beleza vigente? Quem foi que colocou na nossa cabeça que devemos sempre tentar sermos o mais perfeito possível, o mais bonitos e atraentes possível? Como é que alguém pode saber o que é ser “atraente” ou “bonito“? Eu acredito na frase que diz “A beleza está nos olhos de quem vê“, sendo assim todos somos bonitos, sempre haverá alguém para nos confirmar isso, mesmo que esse alguém seja a nossa mãe.

Muitas meninas baseiam seus relacionamentos em aparências, jamais namorariam um garoto que não fosse bonito, ou sexy, mas qual o sentido disso? Uma pessoa não tão bonita vai te abraçar com menor intensidade ou vai te amar menos? Acho uma tremenda burrice basear as coisas pelas aparências que elas têm, é aquela velha história de “julgar o livro pela capa“, sabem? Completamente inútil e irrelevante. Sim, porque o que você considera feio pode ser extremamente maravilhoso para alguém e vice-e-versa, então é completamente idiota essa coisa de ficar tentando estar sempre dentro de um padrão incerto inventado por desconhecidos. Antigamente as mulheres mais bonitas eram aquelas gordinhas, peludas e em quem os homens teriam no que pegar, hoje em dia as mulheres só são bonitas se forem extremamente magras e elas têm que ao mesmo tempo ser magras, altas e possuírem curvas, só que isso é humanamente impossível, porque se você é magra, não sobra gordura para preencher os seios e a bunda. Sou dessas que acha isso muito mais bonito do que isso e talvez por pensar assim pouco me importo com as aparências alheias.

Não digo que nunca olho para alguém e digo “uau, que pessoa linda!“, mas geralmente quando isso acontece são pessoas vistas na televisão, revistas, jornais ou mesmo na internet e eu não conto essas pessoas, pois para mim elas não são reais, estão um nível acima, logo é ridículo ficarmos nos comparando a elas, principalmente porque ao contrário de nós que temos infinitas coisas para fazer, elas possuem cabeleireiras, maqueadoras e manicures sempre dispostas a deixá-las lindas (pelo menos quando estão prestes a aparecer em algum meio de comunicação certamente passam por esses tratos)  e enquanto isso nós dificilmente temos tempo para ir a uma manicure ou arumar o cabelo no salão, mas sofremos uma pressão imensa para sermos tão maravilhosamente perfeitos quanto tais pessoas televisivas. Acho isso completamente ridículo.

Não sei quantificar belezas. Volta e meia alguém vem que dizer que fulano é lindo ou muito mais bonito que beotrano e eu apenas sorrio e concordo, porque para mim todas as pessoas que eu conheço são absolutamente normais, sem nada de especial em sua beleza, assim sendo todos são naturalmente belos. Eu não consigo olhar para alguém e pensar “ew, que pessoa horrorosa!“, consigo me encantar pela aparência de 99% das pessoas, então não entendo quando ficam classificando os outros por aí, só consigo fazer isso caso eu não conheça pessoalmente a pessoa, neste caso sou capaz de ser até cruel em minha opinião à respeito de sua aparência. O fato é que eu acredito que é impossível você sobreviver com alguém extremamente lindo ao seu lado, pois a pessoa vai ser linda no começo e depois você vai se acostumar com ela e ela passará a ser apenas igual a todas as outras. Não acredito que a Angelina Jolie acorde ao lado do Brad Pitt todas as manhãs e pense “Sou casada com o maior sexy simbol do planeta, ele é absurdamente maravilhoso“, acredito que ela acorde, vire para o lado, dê um beijo de bom dia e diga “Bom dia querido, quais são seus planos para o dia de hoje?” porque para ela ele não é “UAU É O BRAD PITT!!!“, pra ela ele é o marido dela e apenas isso.

Ano passado quando entramos no teatro tinha um garoto bonitinho na nossa turma, no primeiro dia pensamos “que garoto bonito!” e depois ele se tornou apenas um garoto da turma de teatro e nós passamos a abominar a ideia de sequer ter que beijá-lo em uma peça teatral, porque, bem… não seria agradável. Então, acredito que todas as coisas partam do mesmo pressuposto, acredito que mesmo que a gente passe metade da nossa vida tentando ficar lindos e maravilhosos para impressionar terceiros quem realmente nos amar vai nos amar mesmo quando estivermos com obesidade mórbida, ou com anorexia crônica, também quando estivermos velhos e enrugados ou quando acordarmos descabelados, sem maquiagem e com bafo. Acredito que essa coisa de ficar procurando um padrão de beleza seja absurdamente ridículo e que demonstra apenas atraso de mentalidade, acredito que ao invés de construir relacionamentos baseados em aparências as pessoas deveriam se preocupar em encantar-se com as essências umas das outras, isso sim faria o mundo um pouco melhor.

No fim resolvi escrever este texto simplesmente porque essa semana teremos que tirar fotos para a formatura escolar e todas as pessoas serão obrigadas a passar maquiagem (inclusive os garotos) e fazer uma porção de poses falsas para fotos que serão muito editadas no photoshop depois e vendidas por preços absurdos no início de Janeiro, fazendo com que nossos pais fiquem enfeitiçados com nossa beleza artificial e tenham vontande de adquirir tais fotos, fazendo assim com que a empresa da formatura fique ainda mais rica. Para mim tal evento é uma completa babaquice, porque fotos tiradas em poses forçadas não serão recordação de absolutamente nada, maquiar pessoas contra suas vontades é completamente ridículo e tons de pele forjados pelos efeitos do photoshop são completamente toscos e desnecessários. Se querem um book de fotos para a formatura, promovam churrascos e festas decentes, onde as pessoas estejam se divertindo de verdade e as fotos sirvam para que elas relembrem bons momentos e não um dia fatídico na última sala do corredor com uma maquiagem que foi usada na escola inteira fazendo poses em uma cadeira na frente de um fundo nem tão bonito assim. Tudo isso para que mesmo? Provar que somos belos? Não acho que tal ato seja necessário para isso.

Todos somos bonitos, somos fisicamente perfeitos, possuímos dois olhos, ouvidos, braços e pernas e não precisamos desses artifícios materiais e tecnológicos para provar isso para nós mesmos. Pelo menos eu não preciso.

Comentários: