Não tenho uma visão muito acertada sobre o matrimônio, acho impossível que duas pessoas se amem pelo resto de suas vidas, mas os casais apaixonados insistem em me dizer que só acho isso porque nunca achei o meu amor. Não sei. Mas como toda garota já perdi um bom tempo da minha infância planejando o meu “grande dia”. Só que quando eu parei de acreditar na sua concretude, passei a desconsiderá-lo e nunca mais passou pela minha cabeça a hipótese de me casar algum dia. No máximo eu moraria com a pessoa, mas sem uma cerimônia com uma festa gigante, porque seria desperdício de dinheiro, bobeira e ai, eu detesto ir em casamentos, não quero fazer as pessoas passarem por isso.

Recentemente, porém, encontro-me numa fase completamente romântica e cheia de firulas, na qual me pego lendo Lord Byron no meio da madrugada e derramando lágrimas por qualquer sinal de amor, achando tudo lindo e morrendo de inveja do universo por acontecer com todo mundo que me cerca, menos comigo. Como se o cupido simplesmente ignorasse a minha existência. Em busca de uma conformidade para tal fato, resolvi planejar o casamento dos meus sonhos e gostaria de convidá-los a fazer o mesmo!

Pedido:

Eu sou uma criança nerd que cresceu lendo livros e vendo filmes repletos de amores românticos e pedidos de casamento fofos. O pedido tem que envolver alguma referência que seja a minha cara e o sentimento entre eu e o pretendente tem que ser semelhante a Beatrice e Lemony ou Snape e Lily Potter. Tem que ser uma coisa que eu consiga imaginar uma perpetuação e uma concretude, que me faça bem e deixe-me ser eu mesma, sem precisar fingir nada. Se tem uma coisa que eu sempre repito para o mundo é: se fez uma declaração com boas referências, eu caso.

Aliança: 

Aliança baseada em Khal Drogo e Daenarys Targaryan – Game of Thrones

Detesto a ideia de ter que usar um anel pelo resto da minha vida e sempre disse que se eu fosse casar e soubesse que seria pra sempre ia tatuar alguma coisa significativa para mim e o respectivo, como sinal do nosso amor eterno. Só que essa semana me deparei com a aliança dos meus sonhos e resolvi mudar de opinião: se eu casar, além da nossa tatuagem poética, por favor me dê essa aliança, é claro que só vale se você entender a referência. E se você entender a referência, me der essa aliança e tiver feito um pedido bonito é claro que eu vou aceitar.

Vestido:

Eu não sei como vai estar meu cabelo e sei que não vou conseguir usar salto, então estarei com tênis ou no máximo uma sapatilha. Sei que vou exigir uma maquiagem simplista e que vou torcer pra ter pouca gente na plateia, porque é um casamento e não um espetáculo. E sei que quero um vestido como o dessa foto. Eu preciso do vestido dessa foto. Porque ele é absurdamente maravilhoso e absurdamente a minha cara e porque se meu casamento for colorido, as chances de ele funcionar são muito maiores, porque nada de ruim acontece quando há muitas cores envolvidas e essa é uma das minhas maiores filosofias de vida.

Local:

Las Vegas

Despedida de solteiro em um cassino, casamento que já vem acoplado com Lua de Mel, ao invés de gastar com festa, gasta-se com passagens. Não é necessário convidar todos aqueles parentes que você nem conhece direito e nem os amigos dos amigos dos amigos do seu irmão, dá pra se divorciar e, por favor, quem celebra é o Elvis.

Votos: 

O processo ocorreu muito bem até agora e está tudo lindo e dentro dos conformes. Mas é lógico que pode melhorar e a hora de melhorar é a hora dos votos. A opção número um é cada um escrever os próprios votos baseando-se no outro, porque isso parece lindo. Se por um acaso isso não puder se concretizar, faremos os votos de Game of Thrones.

“Pai, mãe, velha, ferreiro, donzela, guerreiro e estranho. Eu sou dele e ele é meu, deste dia até o fim dos nossos dias.”

Dança Final: 

Eu não sei dançar ritimadamente e torço para que meu concumbino também não saiba, caso contrário a dança de casamento será vergonhosa. É claro que de acordo com o contexto, assim que o Elvis disser que podemos nos beijar vamos embarcar em uma playlist empolgante que misture vários ritmos musicais e nos faça morrer de rir, para depois irmos pro hotel descansar e começar o casamento de fato! A única premissa é que a gente possa dançar que nem o Carlton. Porque dançar que nem o Carlton com um vestido de noiva é um paraíso.

E ai de quem disser que esse não seria um casamento genial!

0 thoughts on “Casamento

  1. HAHAHAHAHAHAHAHAHA CHO-RAN-DO! MayMay, se um dia esse casamento acontecer POR FAVOR ME CHAME! Adoro dançar que nem o Carlton – já que eu obviamente nasci com dois pés esquerdos – e AI ♥ casar em Las Vegas só você mesmo sua louca! Te amo!

    beijos

Comentários: