Coisas que só o tempo faz…

Estava fazendo uma “limpa” no meu quarto e resolvi rasgar todos os papéis inúteis que certamente haveriam pelo caminho, me deparei então com meus cadernos da oitava série (2008), do primeiro ano (2009) e do segundo ano (2010)  e resolvi rasgar todas as folhas usadas, todas as provas, tudo. Mas tenho mania de escrever nas divisórias, escrever coisas sobre mim, escola, amigos, qualquer coisa que vier na cabeça e foi assim que comecei a perceber uma gigante diferença entre os três anos.

Em 2008 “Preciso tirar 8,5 na média final de matemática, se não serei oficialmente burra na matéria. Vocês podem achar que sou dura demais comigo mesma, mas pra mim quem tira menos de 8,5 na média FINAL é definitivamente burro na matéria.” – média final – 8,7

Em 2009 “GEENNTEEE Preciso de 4,8 pra passar em matemática e só falta um bimestre! Socorro!!!” – média final – 6,2

Em 2010 “PQP tô no último bimestre e preciso de ~~6,8~~ pra passar de ano em matemática!! Totalmente ferrada!!! HELPP!!” -média final – 5,8

Okeis, depois da recuperação subiu pra 7,8, mas mesmassim.

Em 2008 eu era “burra” em 2 de 10 matérias.

Em 2009 em 8 de 13 matérias.

Em 2010 em 9 de 13 matérias.

Em 2008 eu tinha hora cronometrada no pc, fazia as tarefas de casa, estudava muito para as provas e tinha aflição só de imaginar que ficaria em alguma recuperação algum dia.

Em 2009 eu só fazia as tarefas quando tava afim, estudava só pras provas que gostava ou quando tava muito ferrada, dormia em várias aulas e achava recuperação digno de mim.

Em 2010 acho que só fiz tarefa de casa uma vez e olha lá. Quando valia nota, eu copiava as tarefas. Não estudei pra nenhuma prova, até me ferrar o suficiente para ser obrigada a fazer isso, tava pouco me lixando pras minhas notas, desde que eu passasse de ano. Sabia o livro de história praticamente inteiro de cor. Passava o dia inteiro no computador, fazendo sabe-se lá o que e quando não estava no computador estava dormindo. Uma completa vagabunda. Achei um absurdo ter ficado de recuperação final, pois “não mereci”.

Em 2008 “Gosto mais das minhas amigas do que da minha família!”

Em 2009 “Amigas? Tenho amigas? Acho que não.” -muda de sala-

Em 2010 “Quem precisa de amigas na escola quando se tem a minha família e o teatro?”

Descrição de mim em 2008 “Sou muito estranha e assustadora, falo demais e sem pensar, por isso as vezes sou grossa e ofendo pessoas que não merecem. Me irrito facilmente, por qualquer coisa e em qualquer lugar, quando estou irritada tendo a bater nas pessoas, mesmo que elas não tenham nada a ver com a minha irritação. Belisco também! E dizem que dói! Bom… Estou tentando parar de fazer essas coisas, mas sempre faço e só depois me dou conta que falhei de novo, ainda bem que tenho amigas que me ajudam a não ser mais assim, porque deve ser legal ser uma pessoa legal! Também tenho algumas qualidades,  sou legal, divertida, confiável e surpreendente! Admiro pessoas sinceras e que sabem guardar segredos. Sou viciada em comer chocolate e ver filmes. Sou extremamente fresca com comidas e só tomo água, não gosto das coisas, mas nunca as experimentei.”

Em 2009 “Sou muito estranha e assustadora. Ninguém no mundo me entende, parece que sou uma alienígena jogada aqui para algum tipo de experiência. Sou uma droga com sentimentos, não sei o que eles significam. Não tenho amigas, sou completamente sozinha. Sou irritante e irritável. Bato em quem me provoca, mas na maioria das vezes reprimo minha raiva e desconto em mim mesma. Qualidades? Gostaria de saber se tenho alguma, mas não tem ninguém para me falar. Admiro pessoas felizes e que são amadas. Sou viciada em comer chocolate e ficar na internet boiando. Sou fresca com comidas, mas acho que um dia isso passará.”

Em 2010 “Sou absolutamente normal. Igual a todos os idiotas jogados aqui na Terra. Tá, talvez eu tenha algumas individualidades, mas garanto que são poucas. Tenho poucos amigos, mas eles bastam. Estou quase conseguindo entender os sentimentos, mas acho legal a dúvida que eles causam na gente. Nunca bato em ninguém, só encosto nas pessoas depois que as conheço por um bom tempo e se eu bato nelas não é por raiva, é por impulso, mas nunca dói. Sou nutrida de força interior, mas exteriormente sou uma magrela fraca que não consegue nem carregar a mochila sem ficar corcunda. Admiro pessoas realizadas e que são apaixonadas pelo que fazem. Sou viciada em Tumblr, Twitter, Harry Potter, MSN, chocolate e algumas pessoas. Não me preocupo nem um pouco com a minha alimentação, se sobrevivi até agora assim, sobreviverei por muito tempo ainda.”

Em 2008 eu ia ao psicólogo porque… me achava burra e ficava muito brava comigo quando tirava 9,0 ao invés de 10,0.

Em 2009 porque queria morrer a qualquer custo, não importava quem fosse o assassino ou a arma utilizada.

Em 2010… Não fui ao psicólogo.

Em 2008 “Eu AMO a escola!!! Queria morar aqui se pudesse! É tudo tão perfeito e maravilhoso nessa escola! Fins de semana e férias são um SACO! Por que eles existem?”

Em 2009 “Odeio a maldita escola. Pra que tenho que ir até lá? Não podia estudar em casa e ir lá só fazer as provas? Escola é tão chato. Todas aquelas pessoas que se odeiam e odeiam estar lá, fingindo estarem felizes e enganando a si mesmas, com a intenção de aprender algo, sendo que na verdade só decoram as coisas para ir bem nas provas. Pra que ir bem nas provas? São apenas números! Fodam-se os números. Para que estudar todas aquelas coisas inúteis? PRA QUE? Queria simplesmente poder não ir pra escola.”

Em 2010 “Adoro a escola! Minha turma é HILÁRIA! Eu posso estar extremamente triste, que eles conseguem me fazer feliz! Mesmo aprendendo um bocado de coisas inúteis, é divertido ir pra lá. Mesmo não tendo os melhores amigos do mundo lá, é legal conhecer pessoas novas e usufruir do convívio social que a escola proporciona. As notas são apenas números e o sistema de avaliação é extremamente precário então… É só não ligar pra ele e fazer uma auto-avaliação sempre. Aprenda tudo que achar necessário e divirta-se nas outras aulas! Odeio as férias, porque me sinto sozinha e sem graça, mas me canso quanto chega na metade do semestre. Acho que as férias poderiam ser mais curtas e mais frequentes! Sei lá, duas semanas por bimestre, talvez… Enfim.”

Matérias preferidas em 2008: Matemática e História

Em 2009: Filosofia e Geografia.

Em 2010: História, Sociologia, Geografia e Química.

Se essas três Mayras se encontrassem, certamente haveria discussão. Como é possível haver coisas tão diferentes em tão pouco tempo? Como é possível que a gente mude tanto, mesmo sem se esforçar para isso?

Vocês acham que eu regredi ou evoluí?

O tempo é surpreendente, não é mesmo? Quem diria que aquela nerdizinha retardada de 2008 viraria essa rebelde folgada que vos fala hoje? Nós nunca sabemos o que está para acontecer, por isso apenas devemos nos esforçar para fazer o melhor possível. Devemos viver da melhor maneira possível.

O que me aguarda em 2011?

Comentários: