Considerações

Havia algo em seus olhos que me impedia de olhar para outro lugar, algo que me prendia e até hipnotizava. O que poderia eu ter feito, se aqueles olhos eram exatamente tudo o que eu gostaria que fossem?

Se apaixonei-me? Não. Prometi nunca mais cometer tal erro. Algumas sensações são boas e surgem sem que possamos interrompê-las, estas eu permito que fiquem. Quanto à paixão real, aquela que nos tira o sono e nos impede de pensar em outra coisa, sinto-me inapta a fornecê-la a alguém.

Uma vez eu amei de verdade, senti todas as coisas que se tem direito, agia feito uma completa idiota perante tal pessoa, realmente a amei. Para quê? Não sei até hoje, mas foi muito bom enquanto durou, embora talvez não tenha valido a pena, considerando a quantidade de meses de sofrimento e angústia que vieram depois disso. Desde então, decidi nunca mais me apaixonar e tenho plena convicção de conseguirei cumprir tal promessa, só não quando eu encontrar meu amor verdadeiro. Reservo os encantos da paixão somente para ele, porque de todas as pessoas do mundo, sei que ele merecerá cada milímetro do meu imensurável amor.

Quanto a você, bem, seus olhos me encantam, hipnotizam e me impedem de pensar em outras coisas. Perco o controle sobre mim quando estás por perto e tenho que confessar que me divirto um pouco, mas bem… Não é amor, paixão ou qualquer coisa assim. Não é forte o suficiente para isso, é apenas algo passageiro, como um resfriado, que dura apenas três dias, a gente se confunde, acha que é gripe, mas não é forte o suficiente, então ele vai embora, antes mesmo de pensarmos em tratá-lo. Exatamente isso.

Lembranças? As guardo e com carinho, porque não há nada para ser lembrado e muito menos para ser esquecido, eu só preciso aprender a me controlar quando estou perto do seu olhar, só isso.

Comentários: