Descobertas

RegrasParte 1Parte 2Parte 3

DIA 4 – O pior e o melhor dia do ano para você; Coisas que você tenha feito pela primeira vez neste ano; Algo que você tenha tentado fazer, mas não tenha conseguido, algo que você conseguiu e algo que você quase fez; A grande descoberta do seu ano; Uma pessoa que te fez morrer de vergonha e outra que te encheu de orgulho; 

2012 foi daqueles anos mágicos, mas tão mágicos que o pior e o melhor dia foram o mesmo. Lembro como se fosse ontem, ou como se eu tivesse sonhado ontem, porque é muito difícil saber se foi ou não sonho, embora as passagens de avião digam que foi realidade. Dia dezenove de agosto de 2012 começou às 10h, acordei e tomei café com a querida tia Ila. Tomei banho, troquei de roupa, conversamos, arrumei a minha bolsa e entrei em contato com as meninas para saber aonde deveria ir. O almoço havia atrasado e eu deveria encontrá-las em uma estação de metrô. Esperei um pouco e fui até lá. Não havia ninguém. Elas moram mais longe e por isso demoraram um pouco mais para chegar, só estava Anna, mas no outro lado da estação e não nos encontramos. Aparece na escada cinco lindas meninas sorridentes que me abraçam e dizem “vamos buscar a Anna” e então atravessamos a estação inteira e finalmente a buscamos. Decidimos que iríamos ao Shopping da Paulista, porque eu e a Anna ainda não havíamos almoçado e Deyse, Tary e Milena queriam comprar um óculos de Sol. Pegamos o metrô e antes de chegar à praça de alimentação encontramos a “Quem disse, Berenice?“, depois conhecida como a nossa loja, porque tudo ali tinha a nossa cara. E nós compramos perfumes da mesma linha para todas, desde que o nome deles combinassem com a pessoa em questão. E fomos até a praça de alimentação e eu e Anna comemos massa, enquanto Deyse e Milena comeram camarão e pouco tempo depois Ale e Lari chegaram e nós rimos, fotografamos, conversamos e fomos comprar o dito óculos de Sol. A folia na Chillibeans foi grande e saímos fotografando a bela avenida Paulista e caminhando rumo à Livraria Cultura, chegamos lá e pouco depois Marie aparece cantando OI OI OI, como sempre fazia. E rimos e conversamos mais e fomos até o Starbucks mais legal da cidade, andando abraçadas na rua enquanto cantávamos Tempo Perdido, Quase Sem Querer, Eduardo e Mônica e, claro, Pais E Filhos, como em um grande flash mob, enquanto os paulistanos nos encaravam e certamente pensavam “o que raios essas garotas estão fazendo?” e nós estávamos apenas nos sentindo absurdamente infinitas. E tomamos café no Starbucks, e o pior dia começou a aparecer, porque a gente se despediu. E nada nesse ano pôde se comparar com aquela dor. Na Livraria Cultura Lari nos deixou e eu chorei no colo da Milena porque aquilo estava perfeito demais para simplesmente acabar. E de repente era eu quem tinha que ir embora. E eu abracei Anna Vitória ainda sem acreditar que a tinha conhecido e abracei minha querida irmã gêmea prendendo o choro porque ela é feliz demais pra merecer lágrimas e despedi-me da Renata com um grande e meloso abraço e a partir daí cada uma que eu abraçava eu chorava mais e quando chegou na Milena o abraço foi tão grande e o choro tão intenso que nem sei como consegui me sustentar em pé. E então Ana Luísa solta um “até segunda, minha flor” e eu sorrio porque, aquilo estava acabando, mas eu ainda tinha ela. E volto pra casa andando, mas estava chorando tanto que desabo pro lado errado da Brigadeiro, em plena noite de domingo na maior cidade do país. E depois de andar umas oito quadras eu percebo que estava errada e volto e chego em casa cansada e sem acreditar que tudo aquilo havia acontecido em apenas um dia. O melhor e o pior dia do meu ano, em situação plenamente equilibrada. Porque eu tenho plena certeza de que nada nunca será igual ou meramente semelhante a toda aquela efusão de sentimentos que vivemos naqueles dois belos dias. Ainda bem que eu conheci vocês!

402971_4499682417222_610476289_n

Ano dos 18 anos é o ano de primeiras vezes. Dirigi, fui a balada, fui pra faculdade, francês, academia, assisti a vários filmes e seriados pela primeira vez, vi minhas melhores amigas virtuais ao vivo, fui pra Europa, andei de teleférico, comi chocolate belga  e suíço e caracol e usei uma calça de retalhos!

A única coisa que lembro de ter tentado fazer e não conseguido foi o quarto semestre do teatro, que comecei e estava indo bem, mas tinha muita coisa pra fazer tanto nele quanto na faculdade, não pude conciliar e acabei trancando. Uma coisa que eu consegui e achei que não conseguiria, foi subir ao palco em uma peça infantil. Teatro infantil era meu maior monstro teatral e eu consegui vencê-lo, não com muito êxito, mas com êxito suficiente. Não me lembro de nada que eu tenha quase feito…

Dentre todas as coisas fantásticas que eu descobri neste ano, acho que a mais fantástica foi Gilmore Girls. Esse seriado é fantaravilhoso, do tipo que me fez assistir a sete temporadas em menos de seis meses e me deixou completamente viciada e me legou várias lições que carregarei por toda a minha vida! Benzadeus que eu descobri ele, viu?

Não costumo ter vergonha das pessoas, mas orgulho eu tenho de monte! A pessoa que mais me encheu de orgulho esse ano foi Ana Luísa linda e diva que apanhou em duas peças diferentes – e ganhou troféu por uma das surras – beijou dois rapazes diferentes na mesma peça, brilhou muito como Lucy e Sino dos Ventos e que fez-me apaixonar ainda mais por ela quando apareceu de cabelo curto, maquiagem maravilhosa, só de sutiã e saia sendo a Vaidade. Chorei em todas as peças, não porque eram tristes, mas sim porque eu senti orgulho, MUITO orgulho por ser filha amiga de uma preciosidade como estas! Só tenho a dizer obrigada!

0 thoughts on “Descobertas

  1. Amei essa parte do meme! E morri com esse final! Eu também morro de orgulho de você, pequena, e agradeço muito por todo esse carinho que você tem comigo, sempre! Amo ver seus olhinhos na plateia, e adoro ter você como minha fã! Te amo!!

  2. May, linda! Amei te conhecer e sou muito grata por isso!
    Vc merece um ano incrível a frente, cheio de novas descobertas!
    E eu estarei muito feliz em compartilhá-lo contigo!
    Um beijo enorme!

  3. Mayra, que fofo! Qualquer um sente a magia que foi o encontrão a ler os posts de vocês. Mas esse seu foi incrível, eu senti a alegria da chegada e a dor da partida junto! Espero que no próximo eu esteja.
    Gilmore Girls é amor! Eu também assisti tudo em pouco tempo, só que em 2011. Sou apaixonadíssima pela série.
    E acabei de receber seu cartão. Sua fofa! Amei cada palavra escrita, viu!! Bom fim do ano pra ti, você também foi uma linda descoberta! Beijo.

    http://www.despindoestorias.com

  4. Mayrinha, eu adorei te conhecer em 2012! Queria que tivesse durado mais tempo <3 Acho lindo você ser tão fã da Nalulis. Nossa amiga é ótima mesmo! Um dia vou pra Curitiba perturbar vocês duas.

    Beijão e feliz 2013 pra ti!

Comentários: