Literatura LGBTQ

          Você já leu algum livro em que haja personagens gays, lésbicas, bissexuais, transgêneros ou queer e essas pessoas sejam tratadas normalmente? Ou todas as histórias que você ouviu falar que envolvem pessoas assim os tratam como problemas e eles viram o grande drama da história? Ou você nunca parou para pensar que possam existir livros com personagens ou temáticas LGBTQ? Enfim: você já pensou sobre isso? Se sim, o que?

          Eu percebi que nunca tinha pensado à respeito e isso começou a me incomodar. Sou acostumada a assistir séries de TV que abordam temáticas LGBTQ e que têm personagens não-brancos-héteros-cis, mas nunca tinha lido um livro que fosse protagonizado por um personagem assim e que abordasse sua vida e seu universo sem que isso fosse um grande problema. Pensei que isso faz sentido, visto que essas sexualidades são consideradas problemáticas por nossa sociedade atual, infelizmente. Então, livros que as abordem dessa forma não estão sendo malvados, mas sim, realistas. Por outro lado, percebo que é extremamente importante para desconstruir a noção de que ser LGBTQ é errado o contato com temáticas e vivências dessas pessoas. Se isso é possível nas séries, nas novelas e nos filmes, por que não seria possível ou popular na literatura?

          Eu, enquanto leitora, não encaro a sexualidade dos personagens como essencial para o desenvolvimento da história. Veja bem, não sou fã número um de romances e detesto triângulos amorosos, mas quando gosto de um casal, não vou ficar pensando se eles correspondem a padrões estéticos, étnicos ou sexuais. O importante é que a narrativa seja boa o suficiente para que eu goste do casal sem achá-los enjoativos. O importante é que eles tenham química, o relacionamento faça sentido na história, eles estejam felizes e eu me sinta satisfeita com a história que me foi entregue pelo autor em questão. Dessa forma, não me incomodaria em absoluto entrar em contato com literatura que tenha essa temática.

          Saí pedindo indicações, informando de antemão que nunca havia lido livros que tivessem personagens ou temática LGBTQ e conforme as indicações apareceram, eu fui percebendo que já tinha contato com esses personagens e temáticas, só não lembrava. Nesse caso, não lembrar é uma coisa positiva, porque significa que as obras eram boas o suficiente para que a sexualidade dos personagens não se sobressaísse mais que o decorrer da narrativa – e isso é exatamente o que eu sempre busco. Decidi, portanto, compartilhar com vocês os meus achados. A premissa é básica: se você tem preconceito, se sente desconfortável ou se acha incapaz de compreender as pessoas LGBTQ, talvez ler livros que envolvam personagens com esses gêneros e sexualidades te ajude a encarar que essas pessoas existem e são tão gente quanto você. se você não tem preconceito, os livros são interessantes para que você saia da bolha da heteronormatividade e perceba que é possível fazer literatura que quebre padrões e barreiras e ainda assim seja boa e se você é LGBTQ e está cansado de ler coisas que não te representam, espero poder ajudar!

Dos livros que eu já li:

 

A cor púrpura – Alice Walker

                Esse foi o segundo livro do Clube de Leitura Feminista criado pela Emma Watson e eu li em fevereiro. Nessa vídeo resenha conto um pouco das razões para eu ter gostado muito da narrativa. A personagem se descobre em um relacionamento com outra mulher no decorrer do livro e a sutileza, densidade e importância com que isso é tratada são um dos maiores pontos fortes da narrativa. Compre aqui.

As vantagens de ser invisível – Stephen Chbosky

                O livro ficou conhecido após sua adaptação cinematográfica, que estreou em 2012. No entanto, a narrativa é dos anos 90. Um dos pontos altos da “invisibilidade” é quando o personagem principal encontra seu amigo beijando outro garoto e recebe o pedido “para não contar a ninguém”. Patrick, o personagem gay, é sensacional – tanto na versão literária quanto na cinematográfica – e acaba chamando mais atenção do que os outros na maior parte do tempo. Compre aqui.

Monstros invisíveis – Chuck Palahniuk

                Esse foi o meu primeiro livro do Chuck, que li antes de saber que era interessante para outras pessoas o compartilhamento dos meus hábitos literários. Por essa razão, não tenho uma resenha detalhada do livro, o que é uma pena. Tudo que me lembro é que a personagem principal passa por um enorme trauma, onde sua imagem é destilhaçada e ela, que antes era modelo, acaba vendo como salvação sua relação com Brandy Alexander, que, no decorrer do livro, descobrimos ser uma mulher transgênero. A narrativa é maravilhosa, muito reflexiva e repleta de reviravoltas. Impossível ler e não querer conversar com a Brandy. Compre aqui.

Trilogia Millennium – Stieg Larson

          A trilogia Millennium (que agora é uma quadrilogia), nos apresenta à heroína subversiva e incrível, Lisbeth Salander. Todas as pessoas que entram em contato com o livro terminam querendo 1. ser a Lisbeth ou 2. casar com a Lisbeth. Ou um pouco dos dois ao mesmo tempo. Já falei bastante sobre essa série aqui, mas fiz também um vídeo falando sobre o quarto livro, que foi escrito por outro autor. Salander é bissexual, punk, hacker e a pessoa mais brilhante do mundo. Compre aqui.

Versão sem spoilers:

Versão com spoilers:

Azul é a cor mais quente – Julie Maroh

          A graphic novel francesa virou filme, que foi ao ar em 2013. Conta a história de uma moça adolescente que se descobre lésbica e retrata sua primeira relação amorosa. O traçado do livro é lindo e o sentimento passado pela história é ao mesmo tempo doce, tenso, reflexivo, bonito e dramático. Falo um pouco sobre o livro em algum momento desse vídeo. Compre aqui.

Marcas da Guerra – Chuck Wendig

          O livro faz parte da série Star Wars e conta com um casal lésbico e um soldado gay. Apesar de esse não ser o foco da história, a representatividade que traz ter personagens LGBTQ em um livro da franquia Star Wars é louvável. Saiu resenha dele aqui nessa semana! Compre aqui.

 

Dos livros que eu quero muito ler:

Orlando – Virginia Woolf

          Orlando é um homem que nasceu mulher e Virginia Woolf revolucionou a literatura da época com a audácia dessa publicação, que é muito bem falada e parece sensacional. Aqui tem uma resenha bacana do livro. Compre aqui.

A menina submersa – Caitlin R. Kiernan

          Esse livro é considerado enigmático por todas as pessoas que conheço e li. A personagem principal é gótica e tem tendências paranoicas. Sua mãe e avó se suicidaram e ela luta contra essa tendência. É lésbica e a história dela com sua namorada são o mote principal da narrativa. Você pode ver uma resenha completa aqui. Compre aqui

Dois garotos se beijando – David Levithan

          O autor é gay e se propôs a escrever livros com essa temática, assim são vários dos seus títulos que dizem respeito a isso. Esse chama a minha atenção pelo título, que já deixa claro do que se trata. Os livros são do gênero YA, ou seja, destinados a jovens adultos. Dessa forma, não acredito que a narrativa seja muito complexa e, pelo que escuto falar, são livros bons. Aqui tem uma resenha dele. Compre aqui

Carry On – Rainbow Rowell

          Esse livro é um spin off de Fangirl, escrito pela mesma autora. Em Fangirl, a personagem principal está escrevendo uma fanfic sobre sua história preferida. Carry On tem a proposta de ser essa fanfic, onde o casal principal é composto por dois homens. O livro foi traduzido para português recentemente e parece muito legal e as resenhas com que tive contato foram muito positivas! Você pode ler uma delas aqui. Compre aqui

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo – Benjamin Alire Sáenz

          Nunca ouvi falar do autor. O que me chama atenção é o título da história, por causa dos nomes dos personagens, que me remetem ao filósofo grego e ao escritor italiano. Lendo resenhas, percebi que não tem muito a ver com isso, mas não consigo largar as referências. Na verdade, os dois são adolescentes descobrindo os segredos do universo e a narrativa parece poética e tocante. Compre aqui

Simon vs a agenda homo sapiens – Becky Albertalli

          Ao ler o título do livro imaginei que era sobre um garoto cientista que estava tentando revolucionar a teoria da evolução. Quando soube que Simon era gay, comecei a imaginar que talvez fosse apenas um garoto tentando lutar contra a agenda heteronormativa, repressiva e homofóbica que tem dominado as culturas e sociedades de homo sapiens, sabe-se lá porquê. Tudo me leva a crer que o livro segue sim essa linha. Mais uma vez do gênero YA, conta a história de Simon, adolescente gay que ainda não se assumiu e tem esse segredo prestes a ser revelado. Tem uma resenha bem legal aqui! Compre aqui.

Dos livros que conheci fazendo a lista e não sei muito sobre:

          Já que sobre os títulos que se seguem eu não sei nada, deixarei apenas o nome linkado a uma resenha bacana. Se algum de vocês ler em algum momento, me conta o que achou!

Comentários: