Melhores do Ano – Parte 2

Hoje eu vim falar sobre os 5 filmes mais legais que eu vi no cinema esse ano. Confesso que não foi um ano genial e bombástico para a indústria cinematográfica e que eu nem fiz questão de frequentar muitas vezes o cinema (só 26 vezes, rs) e confesso que vi muito filme ruim que me fez ficar chateadíssima por ter pago para assistir, mas que descobri horários e dias com promoções tão emocionantes que paguei muito barato em vários filmes.

1 – Os Miseráveis

Esse foi um dos únicos anos da minha vida que não assisti a todos os filmes do Oscar, por pura falta de paciência mesmo. Não pude deixar de ver “Os Miseráveis”, principalmente porque prometia um oscar (que veio) para a Anne Hathaway e ela, que sempre será minha Mia Thermopolis, merecia só por existir. O filme é gigante e inteiramente cantado, até na parte das falas. Ele é a adaptação cinematográfica do musical da broadway, que é baseado na obra de Victor Hugo. Eu não li o livro, mas tenho certeza que falta muitos detalhes dele no filme e nesse caso não culpo o adaptador, porque o filme é bem semelhante ao musical. Os atores cantaram muito bem e a atuação também foi muito boa, eu realmente gostei do que vi e gostaria de ter re-assistido no cinema porque esse compensava.

2 Minha Mãe é uma Peça

Eu adoro assistir comédias, porque adoro rir. A questão é que comédias brasileiras sempre são réplicas mal feitas de besteirol americano, que por si só já é uma coisa mal feita. Até inventarem esse filme. Conta a história de uma mãe que escuta a filha xingando ela e resolve dar férias para si mesma, só pra provar pros filhos que eles não sabem viver sem ela. Paulo Gustavo interpreta sua própria mãe, de uma maneira absurdamente hilária e faz com que o filme seja gargalhadas garantidas.

3 O Renascimento do Parto

Nunca tinha ido assistir a um documentário no cinema, somente a biografias, o que não considero como documentários, mas quando fiquei sabendo deste não pude deixar de ficar ansiosa para assisti-lo. O filme trata de parto humanizado e apresenta exemplos de diversas mães contando suas experiências, mostra vários partos e reconstrói na nossa cabeça tudo que a gente cresceu ouvindo sobre a melhor maneira de se ter filhos. A produção foi feita com dinheiro arrecadado por apoiadores, gente comum e eles conseguiram dinheiro suficiente para um filme de qualidade suficiente para passar em cinemas do país inteiro, o que foi ainda mais legal.

4 Flores Raras

Quando ouvi falar desse filme comecei a procurar onde passaria, porque esse era daqueles que precisava ser visto no cinema. Valeu a pena. Cada segundo. Glória Pires deu um show de atuação nessa história absurdamente linda de amor (ou algo assim) entre uma arquiteta brasileira e uma poetisa estados unidense. A fotografia do filme é linda e ele é muito bem amarrado e tem uma trilha sonora sensacional e é muito intenso e tocante e compensa.

5 Gravidade

Esse é um filme sensorial que realmente não faz sentido se não for visto em 3D. Fazia muito tempo que não via um filme que realmente explorava a terceira dimensão e Gravidade faz isso maravilhosamente bem. Você sai de lá achando que passou o dia inteiro vagando no espaço junto com a Sandra Bullock e você fica aflito e sente o filme, como minha amiga disse, não é um filme, é uma experiência. E eu acho que todo mundo devia provar um pouquinho.

Menção Honrosa: Uma História de Amor e Fúria e Invocação do Mal

Comentários: