(8/17)

Sabe quando a teoria faz bem mais sentido do que a prática? Estou num momento desses. Talvez seja só reflexo do fato de eu simplesmente não conseguir dormir oito horas por noite e ter que interromper meu sono justamente na hora em que ele fica agradável todas as manhãs. Não sei bem o que é, mas o fato é que ando com saudades da minha escola. Talvez não da escola em si, do ato de ir para lá e tal, do ambiente. Eu sempre soube que ia sentir falta daquilo, mas na verdade, está sendo pior do que eu imaginava.

Acordo esperando que a realidade se transforme e ao invés de eu acordar 6h30 feliz porque estou a tempo, sentir aquele frio na barriga por estar atrasada. Até mudei o caminho para chegar a faculdade, porque estava surtando ao ter que passar pelo meu ponto de ônibus e simplesmente não ter que correr atrás dele, pedindo para o saudoso “seu Zé” esperar mais uns segundos, porque estava chegando. E depois pedir para ele correr, porque estava atrasada. E chegar a escola brava porque alguém tinha pegado o meu lugar e sentar para dormir durante as tediosas aulas de física. Sinto saudade das aulas de física. Ou talvez seja apenas saudades de ter o direito de não gostar de uma matéria e de não entendê-la. Porque na faculdade eu simplesmente sinto-me na obrigação de entender tudo. E não é que as coisas sejam difíceis ou chatas, porque não são e é justamente isso que me irrita, o fato de não ter com o que se irritar. Sinto saudades de todas aquelas regras terríveis. De não poder entrar na aula se chagasse cinco minutos atrasada  e ter que esconder o celular para trocar mensagens, porque se vissem que estava sendo usado eles poderiam tomar de você. Na faculdade as pessoas levam o próprio computador ou outro apetrecho com wi-fi e simplesmente ficam na internet o tempo todo em que se entediam com a aula, e ninguém reclama. Se você chega uma hora atrasado, ninguém reclama também! É simplesmente… estranho!

Mas o que mais me incomoda nessa história toda, é o fato de não ter bagunceiros na sala. Não ter gente desinteressada, que fica conversando sobre qualquer coisa ao invés de prestar atenção e faz as perguntas mais idiotas do mundo. É estar rodeada de gente que entende da mesma coisa que você e consegue fazer conversas úteis, sem aquelas discussões com quem pensa diferente. Queria que alguém pensasse diferente. Queria voltar no tempo e abraçar meus amigos vinte vezes mais do que eu fazia. Ficaria abraçada neles o dia inteiro se fosse possível. Ia aguentar todos os assuntos toscos ou aqueles que eu não entendia, porque envolviam músicas coreanas. Suportaria qualquer coisa, desde que pudesse ter diversidade de novo.

Queria saber exatamente que roupa deveria vestir e ter absoluta certeza de que não passaria frio com ela. E de ficar sentada nas escadas do ginásio, lendo o livro da vez, sem problema algum. Só… sei lá. Nunca imaginei que diria isso algum dia, mas acho que estou com saudades do Ensino Médio. Aquele universo doentio onde coisas horríveis aconteciam e do qual eu reclamava todos os dias e queria escapar o mais rápido possível. Sempre me diziam que eu ia valorizar o momento quando tivesse passado, mas nunca imaginei que de fato sentiria saudades da situação. Achava que mantendo as amizades e reencontrando as pessoas de vez em quando tudo ia continuar bem e eu ia conseguir viver de verdade o melhor momento da minha vida. A questão é que quando se está no ensino médio, dizem que aquele é o melhor momento, mas quando você vai para faculdade é este. Talvez essa coisa de “melhor momento” dependa do individuo e somente dele, não sei.

E não estou escrevendo isso porque estou odiando minha experiência universitária e gostaria de manter-me num universo onde ela existisse, porque isso seria uma completa mentira. Estou amando aquele lugar. Esforçando-me para aproveitar cada pedacinho dele com a maior intensidade possível, porque há milhares de portas a serem abertas. Oportunidades únicas e experiências incríveis a serem vividas e eu sei disso. O problema reside unicamente no fato de eu nunca ter de fato imaginado como seria a faculdade, nunca tê-la planejado e de repente me ver visitando aquele lugar todos os dias e ficando com vontade de ler todos os textos que eles mandam, não importa quantas páginas tenham ou de qual assunto tratem. E isso é esquisito. Porque eu não gosto de estudar. Nunca gostei. Escola foi odiada por mim desde a quinta série e teve alguns momentos amáveis depois disso, mas juro que foram bem mais escassos do que os terríveis momentos passados. E na faculdade as coisas são simples e são legais. Surpreendentemente boas e legais. E talvez eu não tenha os melhores amigos do mundo lá ainda, mas tenho certeza que terei um dia. Porque aquele lugar tem tudo para ser fantástico. As energias que pairam ali são boas.

Então talvez eu me acostume com tudo rápido. Talvez consiga gostar da ideia de apreciar todas as matérias e pessoas. Talvez ache um novo lugar para ler, melhor do que as escadas do ginásio do Ensino Médio. Talvez eu consiga finalmente aprender quantos casacos tenho que colocar para não morrer de frio, mesmo que o dia esteja aparentemente quente. Talvez não. Eu vou. Sei que vou. Pode demorar um tempo, mas é essa a parte que eu sempre gostei nas mudanças, não é? A adaptação ao novo, o momento de descobertas. E eu sei que hoje em dia sou bem mais fechada a elas do que era quando tinha cinco anos, mas vou me dar bem. Vai dar tudo certo. E em uns quatro anos estarei escrevendo sobre como sinto falta da maravilhosa faculdade, como a vida de trabalhadora é decepcionante e como eu gostaria de voltar para o Ensino Médio, o melhor momento da minha vida. Porque talvez quanto mais distantes as coisas estejam, mais fácil é para nós idealizá-las e nada melhor do que momentos platônicos para nos fazerem felizes novamente, mesmo em momentos de crises intensas.

(Daqui)

Beware, cause I’m coming back!

0 thoughts on “Memories and Changes

  1. Pare de arranjar motivos pra reclamar, porque os que você arranjou pra reclamar da faculdade nesse post são os mais absurdos, menina. Você praticamente passou linhas a fio reclamando que não tem motivos pra reclamar!
    Você reclamou tanto do Ensino Médio, que uma hora ele acabou e hoje você sente falta. Então pare de pensar nele e aproveite a faculdade, porque, uma dica: Ela também acaba, e você também vai sentir falta!

Comentários: