Não é o que Parece

Eu não gosto mais de você. Não fico mais pensando a seu respeito e me culpando pelo passado. Acredito agora que tudo acontece porque deve acontecer e por isso não há razões para o arrependimento. Eu não me arrependo. Mas não dá pra seguir em frente. Eu não sei o que tudo isso parece, só sei que você sempre foge de mim, mesmo sem eu ter feito nada. Não é o que parece porque eu juro que eu não quero te agarrar, casar e ter filhos. Não mais. Sinto sua falta, sim, claro, óbvio, mas sinto falta das conversas inusitadas, da convivência – mesmo que na maioria das vezes virtual – da companhia para almoços e filmes. Fico mal quando descubro que você não foi a algum lugar porque soube que lá eu estaria, eu não iria conversar com você, nada ficaria esquisito. Você pode ir aonde quiser, eu não tenho nada a ver com isso. Eu me cansei. Cansei de esperar, cansei de sonhar e de me culpar pela sua completa infelicidade. Cansei de me sentir mal em cada vez que saio à noite, lembrando de tudo que conversávamos a respeito disso quando tínhamos quinze anos. Provavelmente você não se lembra de nenhuma das nossas conversas, se enquanto nos falávamos você raramente lembrava, imagino agora.

Você entrou na minha vida, mudou tudo e foi embora, deixando-me sem nenhum manual de instruções que explicava como seguir adiante sem a sua companhia. Como disse muito bem o meu amado Caetano, “você não me ensinou a te esquecer”, mas a verdade é que depois de todo este tempo eu acabei por aprender sozinha. Chego a passar meses sem lembrar de seu rosto, mas há pequenas coisas no cotidiano que automaticamente me fazem pensar no quão legal seria comentar com você. E daí eu volto a sonhar. E fico brava. E recomeço a esquecer. Acho que eu nunca vou conseguir, acho que em minha mente sempre brilharão essas intermináveis lembranças, afinal, elas são grande parte do que fez de mim o que sou agora. Eu gosto das minhas lembranças. Só não gosto do fato de elas serem com você. Veja bem, não é que eu te odeie, eu sou incapaz disso. Tenho constantemente tentado atingir a indiferença, esta sim parece o essencial. Mas eu não consigo. Eu me preocupo quando sei que você está sozinho, ou triste ou algo de ruim aconteceu. E eu fico brava porque não posso fazer nada, nem comentar a respeito, nem dar conselhos ou palavras consoladoras. É isso que me irrita e me faz querer esquecer de tudo isso.

Só que não dá. Porque toda vez que eu ouvir ou ler o seu nome em algum lugar, seu sorriso invadirá a minha mente e eu automaticamente passarei um dia triste e frustrada pela falta de contato. Não dá porque toda vez que eu lembro da sua existência lembro de tudo que ela agrega ao mundo e de tudo que agregou ao meu mundo um dia. Não dá porque você é “impossível de esquecer, mas difícil de lembrar”, igual a Claire de “Elizabethtown” e eu odeio muito tudo isso.

Não. Não é o que parece. Seja lá o que isso parecer.

Só espero que você seja muito feliz. Mesmo longe. Porque tudo acontece como deve acontecer.

P.S.: Este texto faz parte de um meme mafioso, o título me foi dado pela Deyse do Verdade Mal Contada

0 thoughts on “Não é o que Parece

  1. Sei bem como é isso aí. Dói, né? Me lembra uma frase de um texto da Airen que fala “Amar é verbo sem passado. Uma vez se tendo amado, nunca mais se deixa de amar”, porque por mais que a gente ache que não ama mais, pensar na pessoa dá um certo rebuliço, um nervoso, um “sei lá como poderia estar sendo”… E isso acaba começando a fazer parte da gente, mesmo que as pessoas não nos sejam mais ligadas. Como é o seu caso, como é o meu..
    ;/
    Beijo, flor! <3

  2. Ai que lindo… e que triste… mesmo que essa situação não tenha acontecido comigo exatamente dessa forma, tb tenho meus lapsos de raiva, de memória, de tristeza pela ausência de um certo alguém… mas com o tempo tenho ‘conquistado’ a indiferença. E ela é libertadora!
    Desejo que isso td não lhe traga mais sentimentos confusos!
    Um beijo enorme!

  3. Não sei, mas de todas as coisas que “Não é o que parece” me evocam, acho que eu jamais ia pensar nisso tudo que você pensou. Sei lá, amor antigo dói tanto, né? Mas de repente passa e não faz nem cosquinha a maior parte do tempo (maior mesmo), e depois de mais tempo ainda, o que fica é só uma lembrança boa, um questionamento sem a menor força do “o que poderia ter sido”, e a gente deixa pra lá.

    Porque o agora é tão bom 🙂
    Beijo

    Tô indo ver o vídeo agora!

  4. Esse texto me lebrou um fato do meu fim de semana. Eu estava postando uma foto no instagram e pedi a minha amiga que procurasse uma quote pra eu colocar na foto e ela achou a seguinte frase de Dr. Seuss ” Don’t cry because it’s over, smile because it happened” acho que é por aí, Mayra, não adianta não gostar de lembrar de um momento só pq a pessoa com quem vc dividiu aquilo não faz mais parte da sua vida. Por algum motivo aquela pessoa era a pessoa certa para aquele momento e um dia tanto você quanto ele um dia vão perceber que negar a importancia de alguém na nossa vida, não adianta muita coisa. Temos que tentar aceitar o que aconteceu e partir pra outra de cabeça erguida. Beijos!!

Comentários: