Nunca Falei de você Aqui.

Era uma segunda-feira e estávamos no nosso já tradicional encontro semanal. A esquina da despedida se aproximava e tudo que ouvi foi “você nunca escreveu sobre mim no seu blog!” ao que respondi “nossa, é mesmo! Mas só porque eu estava viajando no seu aniversário!” “é, mas você escreveu até pro fulano!” “O que? Pro fulano? Não! Duvido que manchei a integridade do meu blog!” ao qual caímos na risada. É claro que cheguei em casa e digitei o tal nome na busca deste sítio virtual e, para a sorte da minha moral e dos meus não tão bons costumes, pude constatar que de fato tal nome aqui nunca havia sido citado. Fiquei mais tranquila, mas comecei a fomentar em mim o desejo de escrever para você. E esse dia chegou.

Enquanto voltava para casa, após nosso segundo encontro semanal – aquele que detalha todos os desfechos das misérias do primeiro – tentei lembrar de como viramos amigas. É claro que foi em um laboratório de informática em um campus que não era nosso, no qual ficamos brincando de colocar bigodinhos no rosto das pessoas. Naquele momento eu pude sentir que algo estava prestes a nascer de nós. Senti um fogo emanar do nosso coração e se encontrar no céu formando fagulhas de paixão que desencadeariam em tudo que nos ocorreu e nos fez chegar na esquina do puteiro com a frase mais genial da cidade, dizendo adeus e obrigada por existir na minha vida.

Com você eu tive as conversas mais constrangedoras, as festas mais engraçadas, os bares mais nonsense, os filmes super divertidos, as visitas à casa do Ricardo, os almoços a duas (e também os jantares e os cafés da manhã) e, claro, nosso bom e velho bate papo no pátio. Sem você, aliás, duvido muito que eu teria frequentado aquele pátio em algum momento. Mas é só você estar ali que aqueles bancos sem graça repletos de gente que eu não gosto se tornam incríveis. E cada uma das pessoas vira alvo de algum tipo de piada. E o universo inteiro vira alvo de todos os xingamentos do mundo. E as epifanias nada a ver surgem e a gente morre de rir e descobre que, ei, a vida nem é tão ruim assim, veja bem, a gente se encontrou!

Com você eu aprendi que diferença de idade não significa nada, que qualquer distância pode ser diminuída quando se existe skpye e madrugadas, que os ombros as vezes são mesmo amigos. Que abraços podem ser rodopiantes e alegres mesmo quando tudo parece ruir e que podem ser ainda mais rodopiantes e ainda mais alegres quando a vida resolve sorrir pra gente. Com você eu aprendi que dançar esquisito nem é tão esquisito assim e que gargalhadas histéricas podem ocorrer mesmo com gente por perto. Que o café da cantina nem é tão ruim assim e que rivotril nem sempre dá sono.

Eu já te disse que você é a luz, raio, estrela, luar, manhã de sol, ia-ia io-io da minha vida e, se mesmo assim você não acreditar, digo que nosso divo Di Camargo escreveu “é o amor” só porque sabia que um dia duas pessoas completamente perdidas, idiotas e desmioladas iam se encontrar por aí e iam cantá-la gritando e rodopiando.

Obrigada por ser a inspiração perfeita de como a minha vida não deve ser. Acredite, eu jamais encontraria inspiração melhor.

2 thoughts on “Nunca Falei de você Aqui.

  1. O que eu posso dizer… Pelo menos eu posso servir de péssimo exemplo, e de exemplo de como mesmo sendo um péssimo exemplo, ainda posso rodopiar e dizer que ser diferente é normal!! ahuahuahuahauhuahuahuahuah. Nos encontramos e fazemos disso um momento marcante do dia… Mesmo em dias em que as únicas coisas rodopiantes são os pensamentos maus e as voadoras imaginárias que damos nas pessoas. Agradeço muito por ter encontrado alguém especial no meio de tanta, mas tanta gente chata e sem nenhuma graça (ainda mais onde estávamos)!
    Saber que podemos significar coisas tão bonitas, e ver que existe quem se importe com a gente salva daquele fundo de poço que todo mundo diz que tem uma mola no fundo, mas pasme, é mentira!hauahuahuahuahua
    De um nada, fizemos jantares, cafés e as melhores conversas! Pode bater no peito e dizer “When there is nothing left to burn, you have to set yourself on fire”, e mais, “Salvei o dia treva de um ser rodopiante! Ou seria um pirocóptero?”

  2. Que texto mais fofo e querido, cheio de lembranças gostosas! Não conheço sua amiga, mas ela parece ser uma ótima companhia. Fico feliz de ver que você tem pessoas incríveis do seu lado <3
    (mas ainda queria ser sua colega de faculdade hahaha)
    beijos

Comentários: