O Carnaval

Você é brasileiro e desde que se entende por gente sabe que o ano aqui só começa depois do carnaval, que as escolas de samba são maravilhosas, assim como os trio elétricos de Salvador e os bonecos gigantes de Recife.

Desde os primórdios de sua existência você foi designado a amar o carnaval e parece que nesta época você fica mais feliz e animado, embora você nem entenda porque.

Você já se fantasiou, jogou confetes e brincou com serpentinas com seus amigos, já jogou sprays de espumas na cara dos outros e já se melecou todo com purpurina.

Você sabia várias músicas de cor, desde marchinhas, sambas até aqueles axés dignos de Ivete Sangalo, mas então você cresceu.

Completou 13 ou 14 anos e decidiu que tomaria decisões por conta própria. Percebeu que carnaval nada mais era além de uma festa puramente pagã e promíscua e decidiu abster-se dela até o fim de sua vida.

Mas então eu surjo para te dizer que…

É impossível ser brasileiro e se livrar do carnaval!

Logicamente não estou dizendo que vocês têm obrigação de ficarem felizes e saírem para comemorar, ou que as festas de carnaval são as mais legais do ano inteiro, mas é impossível ser brasileiro e não se sentir nem um pouco influenciado por elas!

Você liga a televisão e tem notícias sobre a festa, tem mulheres peladas sambando no RJ e gente dançando de jeitos que você se acha absolutamente incapaz de fazer. Você acorda e dorme sabendo que enquanto está no sossego de sua humilde residência, milhões de pessoas estão na rua, pulando e se acabando de beber, transando com desconhecidos e coisas do tipo.

E sabem qual é a beleza do carnaval?

É o momento em que as pessoas esquecem suas diferenças, seus momentos tristes, seus problemas pessoais e simplesmente se sentem livres, saem e relaxam.

E foi assim desde sempre!

O carnaval surgiu junto com a supremacia da Igreja Católica, eram os últimos dias felizes antes da quaresma de Cristo.

A própria palavra “carnaval” deriva de “carnis” “valles” que significa “prazeres da carne”, ou seja foi inventada desde o começo para ser um período de tempo ao longo do ano para que todas as pessoas pudessem esquecer seus valores e viverem à base de prazeres mundanos.

Concordo plenamente que a festa perdeu o sentido conforme foi surgindo toda essa parafernalha de competição entre escolas de samba e blablabla, afinal agora as pessoas não sofrem mais na quaresma, então não há motivos para elas festejarem antes e depois da quaresma, logo os feriados de Carnaval e de Páscoa foram ridicularizados pela humanidade e perderam seu sentido.

Eu não sou do tipo que gosta de ver um desfile, um trio elétrico ou um bloco de samba, mas adoro esse feriado. Principalmente porque ele é bem no começo do ano e é um ótimo respiro entre a rotina cansativa, depois do carnaval é como se a gente renascesse e esitvesse mais uma vez prontos para seguir com a batalha da vida. O carnaval é necessário e dentre todas as culturas em massa do Brasil, todas aquelas coisas despresíveis que construímos, essa é uma das partes da nossa cultura que deve ser preservada, assim como o samba, que é capaz de encantar até um metaleiro. Essa é a real cultura do Brasil e se você nasceu aqui, mesmo dizendo que odeia essa festa, está automaticamente ligado a ela, então… Aproveite.

Para quem acabou de perceber que também gosta de carnaval, aí vai um mixtape feito pela Anna Vitória que vai te fazer perceber que você também gosta de samba.

0 thoughts on “O Carnaval

  1. Então, eu não curto o carnaval, mas adoro de paixão esses diazinhos calmos.
    Eu que sempre fico na cidade e não vou para nenhum lugar com agitação, fico bem relax em casa.
    Outra coisa que eu adoro: ver os desfiles na televisão. Acho o máximo! haha. Adoro ver as fantasias, coreografias e carros alegóricos. (:
    Beijo.
    Ah! Muito obrigada pelos conselhos lá no meu blog!
    Vou tentar ocupar meus dias para passarem rápido. (:

    1. Então, você pode não gostar da agitação carnavalesca, mas se gosta de ver desfiles e de ficar dormindo em casa, já gosta de carnaval! haha
      De nada pelos conselhos!
      Beijos

Comentários: