O paradoxo cristão.

Jesus Cristo nasceu durante o Império Romano e ele realmente foi um cara legal, com ideias populares e inteligentes. Acreditava em coisas lindas que se tivessem sido disseminadas corretamente teriam tornado o mundo melhor. Coisas como o perdão, o “não julgar”, o “amar ao próximo como a ti mesmo”, dividir, ter desapego material, seguir seus ideais e inclusive morrer por eles.

Mas daí inventam a tal Igreja Católica. Aquela que era para ser a única correta, a que realmente segue Cristo e dissemina seus ideais corretamente, a que vai nos ajudar a ir para o céu e que melhorará a humanidade absurdamente.

O fato é que isto não aconteceu e vocês sabem por que, não é? Colocaram seres humanos para governar a tal Igreja. Claro, não existem alienígenas ou seres superiores aqui no meio, quero chegar no fato de que seres humanos são naturalmente gananciosos e mesmo que o cara fosse o papa, se pudesse escolher entre pegar um pedaço de terra pra Igreja dele ou doá-lo a um pobre, pegaria para ele.

E é aí que toda a merda começa, porque durante a Idade Média a Igreja Católica atinge seu ápice. Ela detinha os poderes políticos, econômicos, culturais, militares, tudo, tudo que acontecia tinha que passar pelas mãos da Igreja.

Mas os revolucionários existem, sempre existiram e sempre existirão e eles tentaram provar que a Igreja não tinha tanta razão assim, que as coisas eram diferentes, tentaram fazer as pessoas pensar e o que a Igreja fez? Inventou o Tribunal da Santa Inquisição, chamou essas pessoas de hereges e os queimou no meio da rua, numa fogueira gigante, para provar seu poder e que devia ser temida. Cadê o perdão de Cristo? O amor ao próximo? Não sei.

E assim os anos foram passando, a Igreja foi queimando livros que provavelmente mudariam completamente o curso da história se ainda existissem, matando pessoas que talvez fossem fazer coisas fantásticas por nós, inventando coisas absurdas para manter sempre a população sob seu controle e com isso foi ficando cada vez mais rica. A Igreja, ao invés de ajudar os outros, pegou o dinheiro que as pessoas doavam a ela e usou para seu bem próprio, com Igrejas caríssimas, coisas feitas de ouro e um acúmulo absurdo de material. Cadê o desapego?

Durante esta época a Igreja condenava qualquer um que tentasse se opor a ela e por quê? Talvez por não ter capacidade suficiente de inventar coisas que prendessem essas pessoas à ela, caso revolucionários surgissem. E foi por isso que silenciaram Galileu, Copérnico e tantos outros!

E o que nós recebemos desses quase mil anos de dominação de mentes e alienação contínua? Uma sociedade alienada, que com o surgimento do capitalismo apenas trocou a Igreja pela Ciência e continuou sem pensar por conta própria. Pessoas com mentes fechadas, que acham errado relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo, mesmo que elas se amem. Pessoas que acham errado ser de outra cor e separam as outras pessoas por raças, tribos, grupos. Pessoas que saem falando mau de todos sem antes conhecê-los. Pessoas que acreditam que o dinheiro pode comprar tudo e que só ele traz felicidade. Pessoas vazias que vão à missas e dizem acreditar fielmente em tudo que a Igreja diz, mas que quando você pergunta os motivos para que elas ajam dessa maneira, elas simplesmente não sabem responder. Pessoas que dizem seguir a Cristo e na verdade não fazem nada parecido com o que ele realmente fez. Pessoas que acreditam em padres que dizem que a morte de Jesus foi um crime contra os Direitos Humanos, que já existiam na época. Pessoas que engolem informações sem se perguntarem se são reais.

A Igreja Católica criou a sociedade machista, preconceituosa, sem valores e caótica que encontramos hoje e o que seria isso se não um paradoxo?

Algum dia fundo uma religião que realmente siga Cristo e sei que quando fizer isso, as pessoas que a seguirem serão consideradas estranhas e comunistas.

E se você for comentar que “É claro que a Igreja segue Jesus, foi ele que fundou o catolicismo!”, por favor, cale a sua boca. Jesus era judeu e se ele não deixou de frequentar as sinagogas, mesmo quando dizia ser filho de Deus é porque certamente ele não acreditava que fundar uma religião era a solução para as coisas. E se você se confessa a cada vez que mente, desculpe mas não faz sentido. Segundo a tua fé, Jesus já te salvou. Confessar não vai mudar nada.

E antes de pensar em comprar seu lugar no céu, pense em ser bondoso e amável. Garanto que vai contar muito mais no tal “dia do juízo”.

E se vocês me odeiam por este post, me desculpem. Não estou dizendo que Jesus não existiu, apenas que a Igreja deturpou completamente o que ele pregou e que, sob a minha concepção, continuar pregando uma fé criada à base de hipocrisias, além de dizer inconscientemente que concorda com todas as injustiças que esta instituição já fez, você está apoiando deliberadamente a merda ambulante que é esse sistema no qual vivemos hoje. Mas se apoiar o sistema o faz feliz, se ir à missa o satisfaz e se você gosta de acreditar na Igreja, não tem nada de errado nisso. Só estou expondo as minhas ideias, então, antes de me julgarem, tentem olhar pelo meu lado da história.

Tenham um bom final de semana.

0 thoughts on “O paradoxo cristão.

  1. Julgar a Igreja pelo que ela fez no passado é demasiada ignorância. É como falar mal dos alemães por terem suportado o nazismo ou como falar mal dos colonizadores europeus pela atitude escravista. É anacrônico. Se você tivesse vivido na época teria feito a mesma coisa, e note que eu não usei nenhum ”provavelmente” na frase. Teria feito e pronto. De maneira alguma suporto, mas a maior burrada ao observar o passado é vê-lo com os olhos de hoje.

    Óbvio que todo esse processo acabou gerando cristãos ”mornos” – que, se ver na Bíblia, condenados ainda mais que os frios. Ou seja, esses vão a Igreja mas não seguem os preceitos de Cristo. Aí que entra um número enorme de pais que vão à missa, porque seus pais iriam, e, saindo dessa geração, filhos ateus. Ou vai dizer que você não conhece muitas famílias assim, se não for proveniente de uma?

    ”Algum dia fundo uma religião que realmente siga Cristo.”

    Presumo que, por meio dessa afirmação, você acredite no mesmo, e vou fundar o resto de meu comentário acima disso.

    Não julgue uma religião inteira por uma igreja ou por algumas pessoas.
    Você não precisa fundar a sua própria Igreja, se ainda há gente interessada e fiel. Só procure direito: nem toda igreja cristã é deturpada como a maioria católica. Não estou falando pra ser petencostal e se jogar no chão ou sei lá, apenas busque.

    😉

Comentários: