Dia 11 de Janeiro ficará para sempre marcado como um dia triste, pois foi nele em que o rei do Rock Glam deixou o plano terrestre em que habitamos e foi sabe-se lá para onde. Há apenas três dias, David Bowie havia lançado seu 25º álbum, intitulado “Blackstar” e faleceu antes de ter tempo para receber o prestígio adequado pelo trabalho incrível.

          O cantor tinha uma brilhante carreira, que já contava com 47 anos, se contarmos seu início a partir do lançamento de seu primeiro CD (“Space Oddity“). Bowie ficou famoso por seu estilo único, que revolucionou não apenas a música, mas também a moda. Desafiando os limites de gênero desde sempre e trazendo questões existenciais e reflexivas para a cultura pop, o britânico encantou e fez parte da vida de muitas pessoas no decorrer deste período.

          Há dezoito meses, porém, ele lutava contra um câncer, que o venceu nesta madrugada. A doença não era pública e, devido ao lançamento recente do último álbum, sua morte pegou fãs, revistas e sites de notícia de surpresa, fazendo com que todos começassem a segunda-feira um pouco mais tristes.

          Sua música, irreverência e glamour vão deixar saudades e as marcas na nossa sociedade já são visíveis. Nunca esqueceremos dessa pessoa incrível e de sua música que muito nos emociona e impulsiona a sermos pessoas melhores. Para mim, Bowie sempre foi uma inspiração de auto-superação e esteve ao meu lado em todos os momentos difíceis, mostrando que eu conseguia e que tudo que eu buscava estava em mim mesma, bastava que eu me permitisse enxergar isso. Nunca vou esquecer este camarada.

          Como ele mesmo diria “o tempo pode nos mudar, mas nós não podemos enganar o tempo” e é assim que a morte chega, mansa e terna e nos leva para outros caminhos. Resta-nos aceitar e continuar a deixá-lo vivo em nossas mentes e corações, através de sua música transformadora.

          Vá em paz, querido.

*Aqui você pode ouvir as músicas/ver os clipes deste grande mestre da música.

Comentários: