O Tempo é Relativo.

2011 começou de maneira atípica, comigo sendo chamada para abraçar a minha mãe na hora que batesse meia noite e depois disso voltando para o computador, onde havia estado o dia inteiro até então. A ansiedade era imensa, pois esse ano eu seria finalmente FERA, teria minha tão desejada camiseta preta e poderia ter aulas divertidas e dias super legais, naquele que seria o melhor ano de todo o meu ensino médio. Pena que somente a parte de ser FERA e ter a camiseta preta se concretizou. As aulas são muito chatas, o ano é péssimo e a minha sala anda tão desastrosa que as vezes sinto vontade de esmagar certas pessoas sem a menor piedade de seus gritos. Porém, em meio a tanta desgraça, dias desagradáveis etc e tal uma conclusão foi chegada por mim. Esse ano será eterno.

Os três primeiros meses passaram como se fossem apenas uma noite, os próximos três meses foram rápidos também, mas tão intensos que hoje ao recordar de alguns detalhes parece que foi há muito mais tempo do que realmente foi. Neste ano conheci várias pessoas novas e as vezes parece que as conheço desde sempre. Enquanto isso, as pessoas antigas estão tão presentes que é necessário fazer um esforço enorme para me lembrar de como era a vida sem elas por perto e há ainda aquelas pessoas que eu conhecia desde antes do ensino médio e essa, caros leitores, aparentemente estão comigo desde sempre. A dificuldade para relacionar o tempo ao espaço e às pessoas está tão grande que preciso pensar muito para me lembrar desde quando conheço as pessoas e tentar recordar o que pensei pela primeira vez que as vi é praticamente impossível. Mas a coisa piora com o fato de Agosto ser o mês mais comprido do ano, aquele que tem 31 dias sem nenhum feriado no meio, o que significa que faz anos que esse mês começou, mas o calendário insiste em me dizer que foram apenas nove dias! Mas o que mais me incomoda em meio a toda essa desgraça de dias aparentemente com 48h e que continuam tendo tempo insuficiente para que todas as suas tarefas sejam realizadas é o fato de as pessoas realmente acharem que 95 dias pro vestibular é muito tempo. Não sei mais o que fazer, sério. Eu aqui, anseando um vira-tempo, para pular toda essa desgraça de terceiro ano de uma vez por todas e as pessoas dizendo que o tempo é curto e precisam estudar mais se não não vão passar no vestibular, sério, tenho vontade de jogar uma granada nessas pessoas. Enquanto para mim esses oito meses parecem oito anos, há gente que insiste em dizer que foram apenas oito meses, não sei como.

O problema é que meu caso de “tempo eterno” está tão crítico que se antes era atrelado somente ao tempo letivo, agora funciona para o tempo integral. Quero dizer, eu “faço” teatro na mesma escola há um ano, significa que conheço aquelas pessoas há um ano, mas eu juro que ao olhar para a carinha de cada uma delas me sinto como se as conhecesse desde sempre e ao mesmo tempo parece que foi ontem que nos conhecemos e isso é muito estranho! Sinto que estou com um problema de percepção crônico. Se ontem foi segunda-feira, parece que segunda-feira foi há muito tempo, assim como parece que amanhã vai ser domingo e que cada segundo que eu perco escrevendo isso na verdade é uma hora perdida. Isso significa que ao invés de três anos de ensino médio, sinto como se tivessem sido no mínimo cinco e isso é tão verdade que quando paro para pensar no que fazia da vida antes do ensino médio poucas coisas me vêm a mente, tudo parece muito distante, muito velho. Estou com medo. Queria poder desacelerar esse tempo e voltar ao normal, me assusta demais essas coisas.

Enfim, estou aqui escrevendo coisas sem sentido para tentar exemplificar o quão relativo o tempo é. As vezes um segundo é mais importante do que 10 anos e as vezes 10 anos passam como se fossem um segundo, tudo depende do que está acontecendo na nossa vida em tal momento e na maneira como estamos enxergando o mundo naquela hora e é por isso que eu sou eternamente indignada com o fato de humanos tolos tentarem mensurar o tempo, inventando horas, minutos, segundos, milésimos de segundos e mais trocentas unidades de medida para algo que não é possível ser medido. Entendo perfeitamente que sem o sistema de horas o mundo seria completamente desorganizado e concordo que ele deva existir para que a gente tenha uma vida em sociedade um pouco mais estável, mas acreditar que o tempo passa exatamente como o relógio diz é considerado por mim um tanto quanto pequeno, banal e outras palavras do gênero e é por isso que, sob o meu ponto de vista, a humanidade anda tão boba ultimamente. Eles creem que já conseguiram manipular o mundo inteiro, que são o topo da cadeia alimentar e nada pode detê-los, enquanto que na verdade um homem mau é capaz de se sustentar se não puder usufruir de tudo aquilo que construiu. Se nos jogassem em um mundo em que a noção de tempo não existisse, estaríamos completamente perdidos, mas não deveríamos, porque as horas contadas no relógio e os dias marcados no calendário nada significam, eles não são importantes o suficiente para manipular nossas vidas, mas nós nos esquecemos disso e agimos como completos bocós que utilizam coisas criadas por antepassados sem o menor interesse em saber como elas funcionam e porque motivos foram criadas, sem o menor interesse em viver intensamente e fazer com que cada segundo valha o mesmo tanto que um dia inteiro.

0 thoughts on “O Tempo é Relativo.

  1. Ei May! O tempo realmente nos engana. Eu estava pensando exatamente isso sobre esse 1 ano de Cena Hum. Parece que a primeira aula foi ontem, e no entanto, parece que é desde sempre que eu amo aquele lugar e as pessoas que conheci lá. Me sinto tão em casa, e isso é desde a primeira aula.. Quanto ao mês, ah, eu acho que está correndo, assim como o resto do ano. Aliás, assim como tem sido desde 2001. Sim, porque eu lembro que achei 2000 um ano que nunca acabava. E aí, de repente, estou em 2011, com 11 anos a mais, e esses últimos 10 anos VOARAM, assim como tem sido com esse. Não fiz metade do que sonhei que faria esse ano quando pulei as ondinhas na praia na hora da virada, mas fiz algo que eu não imaginava que amaria tanto, e você sabe bem o que.. Hahaha. Pedi pras ondinhas me mostrarem o amor da minha vida, pensei em uma pessoa, mas o que descobri foi outra coisa. A pessoa está pra aparecer ainda, tudo bem, tem tempo! hahaha
    Beijos amada!

Comentários: