Pedidos de Páscoa

Vejo filmes de drama porque eles são a desculpa perfeita para que eu chore. Eu não posso deixar ninguém morrer e com isso acabo matando a mim mesma. Sempre carregando o mundo inteiro nas costas. Sempre se sentindo responsável por todas as coisas. Causa e consequência de tudo. Não por egocentrismo, mas sim para poupar os outros. Entre ver alguém sofrendo e sofrer, fico com a segunda opção. Desde que me entendo por gente escolho a segunda opção. Odeio simplesmente não poder fazer nada. Nunca desmorono, sempre pareço forte. Sempre sorrindo, fazendo piadas e falando friamente das coisas. Sempre me mantendo longe dos sentimentos, sempre racionalizando e falando. Na verdade sou um neném. Daqueles pequenos e inocentes que não sabem o que fazer senão dormir depois de se cansarem chorando. Só consigo dormir depois que choro. Vi isso em Clube da Luta e não entendi, agora faz sentido. Chorar cura a insônia. Quero ter o direito de fazer isso. Quero ter o direito de consertar as coisas, todas elas. Fazer com que todos se sintam felizes e confortáveis. Um mundo ideal seria aquele sem nenhum problema, sem nenhuma doença. O paraíso resumiria-se em um lugar onde a saúde pairasse. Esse foi o principal motivo para que eu gostasse tanto de “Admirável Mundo Novo”. Ninguém morria de doenças por lá, elas não existiam. Odeio como o ser humano só valoriza as coisas quando perde ou está prestes a perder. Odeio o fato de por mais que eu deseje ser um alien, eu seja apenas uma garota. Uma garota tola que acha que consegue segurar todas as barreiras em suas tortas costas. Não aguento mais vê-los sofrer. Não faço nada direito por causa disso. Tento fugir, espairecer, desencanar, mas não dá. Não dá pra simplesmente fingir que está tudo normal. Nada está normal. O normal não existe. E fico a confabular, a tentar me encaixar nos problemas de garotas comuns, mas eu sei que na verdade pouco me importo com garotos e o que quer que eles tenham ou façam. Pouco me importo com picuinhas de amigos ou com shows perdidos e séries canceladas. Minha vida agora gira em torno de vocês. Passo o dia pensando em maneiras de ajudá-los e como nada me vem em mente eu simplesmente sento e obedeço cada uma das coisas que me pedem. Abraço e tento fazer com que saibam o quanto os amo. Dentre todas as dores que já senti – e não foram poucas – essa é a pior. Ver a coisa mais importante para você esvaindo-se é a pior coisa do mundo. Sei que não posso fraquejar e estou me esforçando para isso. Espero conseguir. Espero não decepcioná-los. Não agora. Não mais. Desde já peço perdão pelas minhas falhas, por não ter poder suficiente para fazer com que tudo volte ao normal, mas prometo tentar. Prometo. Porque eu amo vocês e o amor consegue ser maior do que toda a dor que sinto agora. Do que todo esse aperto que consome o meu peito profundamente e me faz ter vontade de agarrá-los e fugir para um deserto, na tentativa – talvez frustrada – de salvá-los da perdição que está cada vez mais próxima. Eu só queria abraçá-los e garantir que tudo ficará bem. Só quero que tudo fique bem.

Por isso escrevo hoje, no dia da Páscoa. A Páscoa que durante meus dez primeiros anos foi o meu feriado favorito, onde eu ganhava grandiosos quilos do meu alimento preferido e pulava de felicidade. A Páscoa que no meu décimo ano representou o dia mais triste da minha infância. A Páscoa em que minha avó morreu enquanto me levava um pedaço de chocolate. A Páscoa que Jesus renasce que Moisés foge com seu povo do Egito, abrindo os mares e tudo! A Páscoa da libertação, vitória, renascimento. A Páscoa que fez com que minha avó se tornasse um anjo de verdade, guiando-me em todos os tortuosos momentos que vieram depois. Escrevo hoje porque a esperança é a última que morre e assim sendo eu ainda espero que haja alguma salvação. Espero que isso sirva para que nos libertemos, renasçamos e saiamos vitoriosos dessa batalha. Escrevo hoje porque talvez eu não acredite mais nos Entes sobrenaturais que nos guiam, mas acredito nos meus avós que estão em algum lugar fazendo o melhor por nós. Escrevo porque sei que eles estão vendo. Eles vão me ajudar ou pelo menos me mostrar o que vai acontecer ou o que eu posso fazer. Escrevo porque nessa páscoa, pela primeira vez na vida, estou trocando todas as toneladas de chocolate do universo – por mais que eu as queira – pela certeza de que continuaremos a ser unidos e venceremos.

É… Feliz Páscoa!

0 thoughts on “Pedidos de Páscoa

  1. Eu também vivo querendo abraçar o mundo com as mãos, e prefiro mil vezes ser decepcionada por alguém do que decepcionar alguém. Se eu ficar decepcionada, eu me viro com minha decepção. Mas se alguém estiver decepcionado comigo eu vou me martirizar pra sempre, Deus sabe como eu fico maluca. Mas enfim.
    Feliz páscoa pra você, flor! E que tudo se realize!

  2. May, não sei o que se passa na sua vida agora, mas deve ser difícil porque o tanto de sofrimento e outros sentimentos impressos nesse texto não tá escrito! Quer dizer, tá… Mas vai muito além disso. Que a tempestade que você enfrenta agora acabe logo para que a bonança venha lhe trazer paz e alívio, e pode ter certeza que teus avós estão sim olhando por ti a todo momento.

    Boa páscoa flor (:

Deixe uma resposta para camitatar Cancelar resposta