Querida Mayra,

Esse post faz parte da Blogagem Coletiva de Março do Rotaroots.
A ideia original, de escrever uma carta para você 10 anos mais jovem, é do site Hypeness.

2014-03-09 18.53.33

Aprendi primeiro com “De Volta para o Futuro” e depois com “Doctor Who” que não é bom dar spoilers sobre a vida futura para o nosso eu do passado, então tentarei não fazer isso.

Aos nove anos você acabou de fazer sua primeira comunhão e está com os cabelos curtos pela primeira vez na vida, sem acreditar muito que realmente teve coragem para tal. Você não gosta de brincar com outras pessoas, mas passa praticamente o dia inteiro enfurnada no quarto de brinquedos, montando sua cidade da barbie feita com os novelos de linhas da sua mãe e criando histórias mais que capciosas.

Sua festa de aniversário, a primeira grande desde os cinco anos, foi um desastre. Um penetra apareceu, deu briga e arremessaram comida por vários lugares. Todas as fotos do parabéns você está com cara de choro, porque o com quem será foi com aquele menino que você simplesmente não gostava. Pode parecer o fim do mundo agora, mas vai passar.

Sei que o seu sonho é ser atriz de cinema, morar em Hollywood, casar com o Orlando Bloom e ser a primeira brasileira a ganhar um Oscar, mas devo dizer que, por mais que sonhar seja lindo, você realmente devia se focar mais nas tarefas de casa e menos em tudo aquilo que vê na televisão. Comece a ler mais cedo, não apenas os livros sobre as histórias dos santos. Sei que não tem biblioteca na sua escola e muito menos na cidade, mas dê um jeito. E descubra a bossa nova o mais rápido possível, só eu sei o quanto isso te acalma.

Não se desespere, você não é o ser mais estranho do universo só porque não pode fazer aula de educação física. Seja paciente e vá a todas as sessões de fisioterapia que te mandarem e pare com essa frescura de dizer que não gosta das coisas sem nunca tê-las experimentado. A vida sem experimentos não tem a menor graça.

Eu sei que a gente acha que é a pior pessoa do mundo e que nos vemos como culpadas por todas as desgraças ocorridas em nossas famílias, mas, por favor, lembre-se disso: nós não somos o centro de nenhum universo. As coisas acontecem simplesmente porque devem. As vezes não há nada que possamos fazer para evitar os problemas e as vezes eles não têm solução. Entenda isso.

A essa altura você já tem uma sobrinha, embora ainda não a conheça. Cuide melhor dela do que eu cuidei. Seja mais presente. Seja mais tia. E dê mais atenção para a sua vó. Nunca negue nada que ela te pedir, aproveite ao máximo cada segundo que você passará com ela. Ela vai fazer falta algum dia e, preciso dar esse spoiler, esse dia não está longe. Você vai sofrer, se martirizar e vai ser o fim do seu mundo pela primeira vez. E você vai chorar mais lágrimas que a Alice e não vai encontrar nenhum país das maravilhas. Aí vai perceber que a vida segue e vai crescer um bocado com isso.

Aproveite também seus amigos e primos, sua escola e absolutamente tudo. Como você sabe, seus pais são meio instáveis e é provável que você não continue nessa cidade por muito tempo. Esteja preparada para as despedidas, elas serão sua maior habilidade algum dia. Tente chorar mais e sempre. Não guarde em você todo o sentimento ruim que te aflige e aprenda a conversar com as pessoas todas as vezes que se sentir mal e aprenda isso logo, vai te poupar muitos momentos ruins.

Aprenda a permanecer. Mesmo que sua vida até agora tenha sido moldada inteiramente em recomeços, tente encontrar algo que sempre permaneça e carregue isso para todo sempre. Pode ser algo interno ou um objeto, alguma coisa que te lembre de quem você é porque por muitos momentos você vai esquecer e se sentir perdida. Você vai se sentir perdida tantas vezes que vai querer voltar aos nove anos e ficar parada lá para sempre, mesmo que agora você não veja a hora de chegar aos doze e ser chamada de “adolescente” pela sua mãe.

Você precisa aprender também a ter coragem e precisa entender que o mundo não é cor de rosa e que sua vida não vai dar tão certo como a das gêmeas em seu filme preferido do momento.

Eu sei, tudo parece meio desesperador, mas é disso que é feita a vida. De incertezas, traços tortos, caminhos tortuosos e muitas incertezas. Em diversos momentos você se verá em labirintos, em outros se sentirá plenamente deslocada e em alguns, mesmo que poucos, você se sentirá bem. Tente amar mais as pessoas que te amam, permita-se percebê-las e tente parar de se incomodar com isso. Você pode até ser meio maluca, mas mesmo assim tem gente que se importa e eles continuam por aí, mesmo que a gente não enxergue.

Comece a perdoar seu pai o mais cedo que conseguir. Eu ainda não entendo porque ele age do jeito que age, mas com o passar do tempo a gente aprende que isso não interessa muito, afinal, ele é o único pai que a gente tem e é ridículo da nossa parte simplesmente negar amor e carinho a alguém que, certamente, precisa muito. Nunca aprenda a brigar com a sua mãe. Esse foi um dos maiores erros da minha vida e não quero que você cometa também. Respeite-a e a trate com carinho, mesmo quando ela te irritar. Tente entender o seu irmão e não fique tão brava quando ele não quiser falar com você. É normal e você não é um monstro por isso.

Não deixe de abraçar as pessoas com toda força do mundo sempre que puder e nunca abandone seus cadernos de anotação! Sempre quis lê-los e nunca encontrei.

Por fim, lembre-se que mesmo não sendo exatamente o que você esperava, você é uma pessoa boa e que deve sempre dar o seu melhor e tentar ao máximo fazer tudo que tem vontade, para, mesmo que não dê certo, você possa manter-se ciente de que tentou. Gandhi – você vai saber quem ele é em algum momento, não se preocupe – uma vez disse que a gente tem que ser a mudança que quer ver no mundo e eu quero ver muitas mudanças no mundo, mas é mais fácil mudar você do que a mim mesma, embora eu não desista de tentar nunca. Seja forte. O rumo da sua vida começa a ser traçado a partir das decisões do agora. Pense. Preste atenção. Permaneça. Faça. Finalmente estou começando a acreditar em nós, por favor, não demore tanto.

1899455_10203237367676326_1317778552_o

P.S.: Sim, você vai ter seus cabelos coloridos quando chegar a hora, não se preocupe com isso.

P.S.2: Na primeira foto você está indo para sua primeira comunhão e se sentindo o máximo por isso. Na segunda você está dançando banghara em uma pedra no meio do lago mais lindo da sua vida no outro lado do mundo, pois é, um dia você vai viajar.

P.S.3: Desculpa River Song, sou péssima em não dar spoilers.

P.S.4: A Ana e a Anna também brincaram disso!

7 thoughts on “Querida Mayra,

  1. May, sua carta ficou muito bonita e emocionante. Realmente, as pessoas precisam aprender o quanto antes que não são o centro do mundo. Pensar em nós como o centro do mundo nos trás atitudes de prepotência e também de muita tristeza. A desvantagem: Não, as pessoas não vivem em torno de nós. A vantagem: A culpa jamais é sempre nossa.
    Um beijo! <3

  2. Linda carta!
    Certamente a sua Mayra ficou satisfeita. A vida não é feita apenas de momentos bons, por isso é importante a gente se preparar, ainda que apenas uma criança, para aguentar o que virá de não tão bom. Poder se preparar, pra lidar melhor quando a hora chegar. Espero que daaqui pra frente, nos próximos 10 anos, estejamos melhor preparados. Ao menos pra mim, esta tag gerou este tipo de reflexão.

  3. Maymay do céu. Eu acabei de postar a minha carta e aí vim correndo ler a sua. E CARA, NÓS SOMOS MESMO IRMÃS.
    Quase tudo que você disse pra little Mayra eu gostaria de dizer pra little Milena. Permanecer, não se culpar, ter coragem. Em algum ponto da leitura comecei a me emocionar porque eram muitos dos meus próprios sentimentos ali. Foi muita sorte a gente ter se encontrado em algum ponto, assim podemos nos compreender e puxar orelhas.
    Te amo! Essa carta tá INCRÍVEL!

  4. May, arrepiei BRUTALMENTE com esse final.
    O lago mais lindo da sua vida, a libertação das viagens, e o fato de acreditar em si mesma. Senti você muito amiga de si mesma nessa carta, se tratando com tanto carinho, e fiquei muito enternecida (essa é a palavra!) com tudo o que li. Quero abraçar vocês, a Maymay de hoje e a Maymay de nove aninhos <3
    Uma coisa engraçada: na maior parte das cartas que li com esse meme, tive a impressão que as pessoas há 10 anos já eram muito do que elas são hoje. Com você foi o contrário, te achei totalmente diferente. Não te imagino mesmo fazendo primeira comunhão, lendo livro de santos e principalmente querendo ganhar um Oscar HAHAHAHA Faltou contar sobre como você vai se tornar subversiva, poxa! <33333
    Enfim, amei, amei, amei.
    Fico cada vez mais feliz que a gente tenha se encontrado por aí.
    Um beijo enorme, sua sensacional <3

  5. Fiquei com dó de little Mayra por causa do “com quem sera” =( Seria bem legal se nossos eus de 10 anos atrás realmente recebessem nossas cartas né? Tenho certeza de que se a sua Mayra de 9 anos te vise agora ela ia pensar: ” É exatamente assim que eu queria ser!” por que não imagino ninguém se sentindo menos orgulhoso de ter se tornado o que você, Mayra de 19, se tornou. E nessa onda a gente vai aprendendo a viver né? =) Beijão!

  6. De todas as cartas que li, achei a sua mais intensa. E por isso chorei muito. Me encontrei muito na Mayra de 9 anos. Senti o peso que você carrega nos ombros. Desde novinha tão preocupada. Por isso pedi a minha Kamilla de 13 anos que seja mais leve.

  7. Ahhhhh que lindo!

    Adorei quando você disse sobre “permanecer”. Tem muito a ver com uma fase que estou passando nesse momento!

    Obrigado por esse texto lindo!

Comentários: