Hoje é o primeiro dia do Ramadan, mês sagrado dos muçulmanos e, apesar de eles terem que ficar um tempão sem comer, é incrível o quanto o mês é amado e esperado pelos fiéis religiosos! Mas, como vivemos em um país de maioria cristã, não é de conhecimento comum a existência do Ramadan, então vou dar uma explicada básica para vocês!

          Assim como o Carnaval e a Páscoa cristãs, o Ramadan islâmico é definido pelo calendário lunar. Ele começa no primeiro dia do nono mês do calendário lunar e dura entre 29 e 30 dias. Cada ano o mês do Ramadan começa 11 dias antes, de acordo com o calendário gregoriano. Dessa forma, durante a vida de um muçulmano, ele vai passar por Ramadans em vários meses e estações diferentes.

Ok, mas por que é um mês sagrado e o que isso implica na vida dos muçulmanos?

          O Ramadan é considerado um mês sagrado por ser aquele em que o Corão (livro sagrado da religião islâmica) foi revelado por Allah ao seu principal profeta, Muhammad (Maomé). Assim, para se lembrar desse mês, onde o profeta viveu um intenso retiro espiritual e contato profundo com o divino, os fiéis islâmicos jejuam. O jejum do Ramadan é um dos cinco pilares da religião, o que significa que sua realização é uma premissa básica para quem se considera fiel islâmico.

          Durante este mês, os fiéis fazem jejum de comida e bebida desde o nascer até o pôr-do-sol, diariamente. Dessa forma, as famílias se arranjam para que o café da manhã ocorra antes do nascer do sol e em todo pôr do Sol ocorre uma festa e um banquete. Além da abstenção de alimentos, os fiéis também não podem praticar relações sexuais enquanto o Sol estiver alto no céu.

          Durante o jejum, as orações são fortificadas e estimula-se que todos os fiéis façam uma leitura mais apurada do livro sagrado durante este mês. O objetivo é de purificação espiritual do fiel, para que haja uma aproximação a Allah, semelhante à vivenciada por Muhammad quando na revelação do Corão. Dessa forma, é um mês inteiro de retiro espiritual e busca por um encontro com o divino.

          O jejum não é obrigatório para todas as pessoas, havendo exceção para as crianças, mulheres no período pós parto e menstruadas, além de idosos e pessoas que tenham/estejam com doenças que impeçam o jejum.

          Ao final do mês, comemora-se o Eid, que é a festa principal do calendário islâmico e o único feriado religioso dos países de maioria islâmica. Nele as famílias se reúnem e compartilham um banquete em homenagem a Allah e agradecimento pelo envio do Corão. Geralmente, o banquete envolve o sacrifício de um animal, que é dividido por todos os familiares. A festa é um momento de alegria e união, bastante esperada por todos os fiéis.

          É interessante lembrarmos que o tempo que o Sol permanece alto é variável, de acordo com as estações do ano e localizações geográficas. Dessa forma, enquanto muçulmanos que habitam países do Hemisfério Sul terão dias menores de Ramadan neste ano e, com isso, jejuarão por menos tempo, os habitantes de países do Hemisfério Norte, que estão próximos ao solstício de verão, terão dias maiores, chegando a jejuar por 21h na Islândia, por exemplo, como vemos no vídeo abaixo, publicado na página do Mvslim.

          Logo, até o dia 05 de Julho desse ano, se você convive com muçulmanos, evite comer ou ingerir líquidos próximo a eles enquanto o Sol estiver no céu. Além de ser uma questão de respeito, é um modo de ajudá-los a não se sentirem tentados a quebrar o jejum e seu retiro espiritual. Ajude-os a se manter alimentados a partir de quando a Lua aparecer no céu e não faça piadas sobre seu jejum. O respeito e a tolerância fazem todos mais fortes, independente da vertente religiosa que sigam.

          E, se você é muçulmano, que seu mês sagrado seja bastante enriquecedor para sua jornada espiritual e que você cresça e se sinta mais próximo a Allah! A cada vez que pensarem em quebrar o jejum, lembrem-se da sensação maravilhosa que é chegar no Eid após um bom Ramadan e continuem. A disciplina religiosa dos fiéis islâmicos e sua busca por conhecimento da religião são fontes de admiração para todo o mundo não islâmico e eu, em particular, agradeço a cada um de vocês por seguirem essa jornada incrível. Por isso o meu Mubarak!

4 thoughts on “Ramadan Mubarak!

  1. Muito interessante, enriquecedor. Curti muito também a parte em que pede-se respeito para com eles, mas uma curiosidade que surgiu foi que, menciona-se os calendários Lunar e Gregoriano, a pergunta é: Mesmo a maior parte da população sendo Cristã, os fiéis muçulmanos seguem o calendário gregoriano no dia-a-dia ou, somente em datas específicas e na sua rotina utilizam o calendário Romano? Obrigado desde já. Ótimo texto!

    1. Oi Murilo! O calendário que a gente segue chama-se gregoriano, não romano. Ele tem esse nome por ter sido promulgado pelo papa Gregório XIII em 1582. Esse é o “calendário base” do planeta Terra, sendo seguido por todos os países. Porém, há outros calendários, referentes principalmente à religião. O calendário lunar costuma ser utilizado para aferição de alguns feriados católicos e islâmicos, mas também é utilizado para medir ciclos hormonais e alterações de humor, por exemplo.
      A religião islâmica tem um calendário próprio, cujo ano 0, ao invés de ter sido o nascimento de Jesus, foi a fuga de Maomé de Meca para Medina. Dessa forma, o ano atual nesse calendário é 1437 e cada ano tem a duração de 354 ou 355 dias (ou seja, dez dias a menos que o nosso). Porém, até mesmo nos países de maioria islâmica, a data é medida de acordo com o gregoriano, sendo o calendário religioso utilizado apenas para fins religiosos. Semelhante a isso, ocorre com os judeus e o calendário hebraico e os chineses e seu calendário próprio.
      Espero ter conseguido te responder!
      Um abraço e obrigada pela visita!

  2. May, que texto ótimo! Isso explica muito porque deu um boom de reservas de carro no oriente médio(? é isso né? sou péssima de geografia) lá na empresa onde eu trabalho. Acho que o pessoal tava indo visitar a família! Foi meio aliviante saber que eles podem comer de noite, porque eu já tava desesperada achando que era 24h por dia e não sabia como eles iam trabalhar sem força alguma! 😮

    Gosto muito da seriedade com a qual os islâmico seguem a religião deles mesmo conhecendo tão pouco, é uma fé realmente de se admirar né? Pelo menos já já acaba!

    beijo!

    1. Oi Ale! Só vi o comentário agora!
      Sim, provavelmente eles estavam indo visitar a família! Os encontros familiares são bem comuns no final do Ramadan, que é quando se comemora o Eid. Seu trabalho, apesar de cansativo, tem essas coisas legais de indiretamente aprender sobre culturas alheias, né?
      Pois é, ainda bem que eles podem comer a noite! E, pelo que eu saiba, comem bastaaaante hahaha e também acordam antes de o sol nascer, para tomar um café da manhã reforçado. Ainda assim, acho que eu não conseguiria ficar esse tempo todo de estômago vazio!
      É realmente sensacional a forma séria com a qual eles lidam com a religião. De se admirar mesmo!
      Um abraço!

Comentários: