Sobre uma festa…

Ontem teve uma grande festa dos terceirões da cidade, onde a minha escola era a principal promotora. Por ser da comissão de formatura e tal, não pude deixar de comparecer. Festas sempre me ensinam muitas coisas. Na verdade… São raras as coisas que não me ensinam nada. Então, compartilharei aqui meu recente aprendizado.

1 –  Eu abomino pessoas bêbadas. Nem precisa estar bêbado de verdade, basta parecer. Para mim a pior coisa que pode acontecer é eu conviver com você bêbado. A única exceção é a @LeticiiaC, porque me divirto incrivelmente com ela bêbada, o resto do povo torna-se irritante. O pior ainda é quando os meninos bebem desesperadamente porque é o único jeito de terem coragem de conversar com alguma menina. Sinceramente? Entre um cara sóbreo e um bêbado, 90% das meninas escolheriam o sóbreo. Nesse critério entra o fato de a maioria das pessoas começar a beber muito antes dos 18 anos. Desulpem-me os que acham que “regras são feitas para serem quebradas”, mas acho que além de toda a responsabilidade que é necessária para você sair enchendo a cara, beber com pouca idade pode causar vários problemas futuros e não digo problemas de convivência, somente, mas também problemas metabólicos. Além disso, beber após os 18 anos não é uma regrinha imposta pelos seus pais, é uma Lei Federal. Você poderia ser preso, se a justiça do Brasil realmente funcionasse. A partir do momento que você bebe um gole de álcool antes da idade certa, você fez tão mau para a sociedade quanto todos os políticos corruptos e você perde seu direito de julgá-los. Eu sei que muitos dirão que sou uma exagerada e alienada pelas Leis e talvez eu seja mesmo, o fato é que, para mim, você tem que ser MUITO foda para beber e eu ainda te respeitar.

2 – A moda rege as pessoas. Ano passado se uma menina fosse a uma dessas festas usando tênis, seria uma aberração, neste ano usar tênis se popularizou e muita gente os usava. Festa é um lugar onde a maioria das pessoas deixa de ser quem é e se veste de outra pessoa, na tentativa frustrada de conseguir alguém que a aprecie, pois ninguém o faz quando ela é ela mesma, então talvez alguém aprecie sua nova personagem. Qual o sentido de, por 1 minuto, ter alguém ao seu lado que te acha linda, sendo que essa pessoa nunca nem viu tua cara como realmente é?

3 – Eu não sou adepta a “ficar com desconhecidos”. Várias pessoas vão a festas em busca de amor ou apenas de alguma demonstração de afeto que a faça se sentir mais viva, o fato é que beijar alguém que você não faz a MENOR ideia de quem seja, não te fará uma pessoa mais amada. Quando você precisar de alguém, vai continuar estando sozinho. Fora que tem um monte de doença  que pode ser transmitida com beijos. O amor é um sentimento bonito demais para ser banalizado dessa maneira então eu me entristeço ao ver tantos jovens renderem-se a seus instintos carnais, desprezando todo e qualquer sentimento que possa vir a existir.

4 – Música eletrônica é um saco e Sertanejo também. Acho que ninguém aguenta ficar ouvindo “tunch tunch tu-tu-tunch” durante 3 horas sem ficar enjoado ou com dor de cabeça. Pelo amor de Deus. Se tivesse um cantor na música ainda melhoraria um bocado, mas só aquela batida é um caos infinito! Quanto ao sertanejo… Não dá pra dançar isso sem ter um par então acaba se tornando o momento em que todos os bêbados nojentos chegam nas meninas na esperança de conseguirem um “pedacinho” dela junto com a dança. Deveria tocar mais Pop+Eletrônico, coisas como Lady Gaga, Black Eyed Peas, Ke$ha, Rihanna… Convenhamos que música com toques de eletrônico é o que não tem faltado ultimamente e elas são bem legais, mas só o eletrônico é uma grande merda. Outra coisa, quem foi que inventou de substituir o bom e velho funk das festas pelo Sertanejo? Convenhamos que dançar funk causa uma puta alegria insana e que é engraçado e divertido, dá para se divertir loucamente dançando funk, não vejo como é possível haver diversão com o sertanejo.

5 – Através desta tal festa, descobri quem realmente sou. Gosto muito mais de ir num show com alguns amigos, ouvir rock e gritar as letras junto com o vocalista, ir ao cinema, teatro ou até mesmo ficar em casa divertindo-me comigo mesma, do que ir a uma festa ver pessoas fazendo escrotices enquanto tentam provar para outras que são sim super legais.  Também descobri que todas as festas que fui e que gostei não foi por causa da festa em sí e sim por causa das pessoas que estavam comigo nessas festas, porque não importa o lugar, desde que você esteja com as pessoas certas. Parece clichê, mas é verdade. Talvez eu tenha percebido tantas atrocidades porque não estava com pessoas legais o suficiente para me distrairem delas. Sou uma pequena nerd, que acha estudar um atraso de vida, mas que aprecia muito mais as pequenas coisas e pequenos momentos do que coisas faraônicas. Gosto de cumprir regras, quando concordo com elas e tento ser politicamente correta a maior parte do tempo, porque acredito que a ética e a moral são as únicas coisas que ainda fazem de mim uma pessoa que pode ser considerada decente. Sigo meus princípios onde quer que esteja e, mesmo sendo influenciável quanto a comportamentos, ninguém consegue influenciar meu modo alimentar e ninguém é capaz de me induzir a vícios que sei que me levariam à desgraça. Sou responsável na maior parte do tempo e, vou dizer algo meio presunçoso agora: Sou melhor do que a maioria das meninas existentes, sem precisar de muito esforço para provar.

No fim das contas, por motivos completamente diferentes do que os da maioria das pessoas, ir a essa festa ontem aumentou consideravelmente a minha auto-estima, ainda bem que fui.

Comentários: