Se eles estivessem vivos…

Ah, eu casava. Quem me conhece sabe que eu sempre digo que não pretendo casar, porque deve ser um tédio passar a eternidade ao lado de uma só pessoa enquanto há 7 bilhões zanzando ao nosso redor. Eu sei que já fiz muitos textos com listas de possíveis maridos, mas, bem, se de fato eles se apresentassem como meus possíveis maridos eu certamente recusaria a maioria, mas duvido muito que recusaria algum destes. Todos eles são absurdamente geniais, a ponto de me encantar TANTO com sua obra que eu nem sei o que dizer. Se qualquer um deles de fato quisesse uma pontinha do meu coração, eu me debruçava e dizia “te dou inteirinho”, porque pra eles e por eles, ah… Vale qualquer coisa.

1 – Salvador Dali

Gato, me chama de relógio e vem ni mim que já estou derretidinha te esperando.

O que é esse homem? Com esse bigode sensacional e as melhores frases do universo? Com todas aquelas cores e formas exuberantes? Com as colaborações mais fantásticas já existentes na história da arte? Com aquela voz e sotaque catalão DIVINOS? Dalizinho nem precisava pedir pela minha presença, porque se ele e eu vívessemos ao mesmo tempo, certamente eu saberia onde era sua casa e me esforçaria pra conseguir um intercâmbio lá perto. Já imaginou um retrato surrealista da minha face? Provavelmente ficaria mais bonita do que a face real!

Salvador Dali fez muito mais do que salvar a arte do tradicionalismo, ele salvou a minha vida. Desde que o conheci artes plásticas começaram a fazer sentido, exposições pararam de ser chatas, bigodes viraram bonitos e gatos viraram meus amantes número um. Desde que o conheci encaro pra vida a frase “I don’t do Drugs, I am Drugs” e me esforço diariamente pra ser genial o suficiente para não precisar de drogas para enxergar o mundo colorido, torto e frenético do jeito que ele é. Do jeito que Dali viu. Só ele ia ser capaz de não se importar com meus cabelos, maquiagens, unhas e roupas malucas, só com ele eu poderia ser surreal ao invés de simplesmente admirar essa escola artística. Ai… Salvador, sai dali e vem pra cá.

2 – Clifford Geertz

Me dá uma piscadela e vem fazer uma descrição densa da minha cama, seu lindo.

Geertz é o meu antropólogo favorito da vida. Pelo menos dos lidos até agora. É aquela pessoa GENIAL que consegue explicar como é que a mente e a cultura se desenvolveram, explicando que o evolucionismo biológico ocorreu ao mesmo tempo que o cultural. Geertz é o cara das ideias mais geniais possíveis, dos textos mais bem escritos, daquela elucidação clara, com coisas tão absurdamente fantásticas e maravilhosas que a única coisa que você consegue professar após terminar o texto é “POR QUE EU NÃO CASEI COM ESSE CARA?”. Mas eu casei. Nos meus sonhos eu casei. Nos meus sonhos eu e Geertz fomos pra Bali juntos e ficamos observando as pessoas de acordo com seu método, depois discutimos o que vimos e escrevemos um livro juntos. Geertz é aquele companheiro pra vida inteira, aquele cara que jamais ia achar esquisito algum de seus pensamentos, pelo contrário, ia se interessar por eles, por mais esquisitos que fossem.

Geertz tem um nome muito legal de ser pronunciado e conseguiu me conquistar tão fortemente que eu até esqueci o fato de ele ser da Filadélfia (tinha que ser da Califórnia, ou do Kansas, bem mais massa), porque mesmo que ele tivesse nascido no interior do interior do interior, se fosse gênio desse jeito, me conquistaria na hora. Ai Geertz, me acode que acli tá ford.

3 – Renato Russo

Você gosta de meninos e meninas, né? Então, eu me encaixo na segunda opção. Vamos nos abraçar forte e ficar longe de tudo?

Eu não sei cantar o Renato Russo, gente. Não sei. Não consigo. Perto dele eu seria um nada, porque ele seria a estrela do relacionamento. Ele deteria todas as palavras e eu ia sofrer um bocado com essa coisa de ter que ficar quieta, mas valeria a pena porque eu ia chegar em casa e ter a barba mais linda do mundo e a voz mais doce chamando o meu nome e me dizendo versos bonitos no pé da orelha.

Renato podia ser o cara mais chato do universo que ainda assim eu ia me derreter toda. Acho plenamente impossível que não nos déssemos bem porque, convenhamos, se a pessoa escreveu todas as músicas da sua vida é porque vocês têm uma série de coisas em comum, não? Eu voto que sim. Voto que ao meu lado as músicas dele teriam sido ainda melhores, afinal, sou uma ótima musa inspiradora. Por ele eu moraria em Brasília a vida inteira e ainda o deixaria livre para ficar com os garotos dele quando ele quisesse, desde que em algum momento ele voltasse pra me fazer companhia na cama e me fazer carinho. Porque carinho já é bom, agora imaginem um carinho do Renato Russo.

Renato seria aquele marido companheiro pra todas as horas, pra todas as crises existenciais, neuras, loucuras da vida, porres, porradas, loucuras e abraços. Muitos abraços. Eu acho que se tem uma pessoa no universo que já foi capaz de entender minha mania por abraços, essa pessoa foi Renato Russo. Porque pra ele os abraços eram tão mágicos que o faziam perder a noção do tempo, criando a ilusão da existência de um tempo próprio dele e da pessoa abraçada e, ai, nunca vai existir nada mais poético e real do que isso e eu nunca vou entender porque é que tanta gente acha ele, meu marido perfeito, um “cara chato que fazia músicas legais”. Quem me dera ter essa chatice em casa, hein?

4 – Vinícius de Moraes

Não sou a Garota de Ipanema, mas tenho um doce balanço e sou cheia de graça.

Vinícius é aquele gênio que morreu de tanto amar. Ele se casou nove vezes e nunca trancava a porta de casa, porque a casa dele era a de todos e sempre era um bom momento para beber com os amigos e fazer um pouco de bossa nova. Vinícius é a representação perfeita da vida mansa que qualquer um já pensou em ter. Ele era na dele, com aquela voz doce e meiga e aquela música ritmada, poética e calminha. E além disso ele escrevia. Vinícius escrevia os melhores sonetos do universo, aqueles poemas que dóem na alma por saber que alguém por ventura sentiu algo do tipo em algum momento e ele sabia como ninguém transcrever doces sentimentos em belíssimas palavras.

Vinícius me encheria de carinhos e beijinhos pra acabar com essa coisa de ele sem eu. Ele cantaria do jeitinho dele pros nossos mil filhos as músicas infantis mais legais do universo, todos os dias o dia inteiro e as crianças seriam tão felizes que daria até orgulho de viver. Ele me apresentaria aos melhores cantores do Brasil e do mundo e minha vida seria tão boa, tão mansa, tão beleza pura que me dói só de pensar que ele morreu antes de conhecer todo o amor que eu podia ter lhe dado. Volta pra minha casa, ela fica na rua dos bobos número zero.

5 – John Lennon

Se tudo que você precisa é amor, porque é que você não tá na minha casa ainda?

Ai ai… Sr. John. Eu sou completamente apaixonada por você. Mesmo com esse seu óculos ridículo e toda essa história de ter acabado com a melhor banda do mundo, a verdade é que ela não seria a melhor banda do mundo sem você ou as suas letras. Paul, Ringo e George que me perdoem, mas você sempre foi meu preferido. Você sempre foi o que me transmitiu as melhores coisas, a maior riqueza de vida. Se você fosse meu marido eu até poderia vir a ser romântica que nada seria mais meloso que algumas de suas músicas.

Com a gente casado eu jamais deixaria que os Beatles terminassem, porque seriam suas músicas as baladas da minha vida. Haveria uma música chamada “Mayra” e seria sobre as belezas brasileiras, se você tivesse vivo eu até te ajudaria a escrever a letra. Sabe, eu já fui na casa em que você morreu, já fui no seu memorial e em vários outros lugares que você esteve, sabe qual é o problema disso? Você não estava lá. Ai Johnzinho, volta pra mim. Meu mundo ia ser tão mais feliz com você do meu ladinho fazendo juras de amor com esse sotaque perfeito que só você tinha. Eu tenho os mesmos sonhos que você! Vamos fazer do mundo um só, vem!

Esse foi o top 5 de mortos com os quais eu gostaria de ter podido jogar algo mais do que uma partida de pôker, aqueles com quem eu subiria num altar com véu, grinalda e mil daminhas nas costas. Aqueles que me conquistaram sem nem mesmo existirem ao mesmo tempo que eu. Aqueles a quem eu dedido minha vida e nunca serei capaz de esquecer. E não me julguem, porque aposto que você também tem seus mortos preferidos.

E depois dizem que essa coisa de “spotted” não causa efeitos colaterais nas pessoas…

Mais Calor no Mundo

Calor. Uma sensação que eu usualmente detesto, mas que aprendi a gostar desde que te conheci.

Calor porque você é sempre quente, mesmo que esteja gelada, afinal, bons corações nunca se gelam.

Calor porque é o que eu sinto sempre que te dou um dos abraços mais gostosos do mundo ou te encho de carinhos. Porque é o que emana de mim sempre que consigo conversar sobre o que eu quiser.

Calor porque é uma sensação boa quando passada na dose certa, pela pessoa certa. Porque eu encontrei a pessoa certa. Tão casualmente que eu nem acredito.

Calor porque o Sol é tão bonito que nunca fica  feio, que nem você.

Calor porque ninguém é igual a ninguém, mas é tão bom quando a gente encontra gente que é um pouquinho parecido e que no que se difere ainda é capaz de respeitar e entender a diferença. Porque é tão bom a gente poder conversar o que der na telha com a certeza de que não será um problema. Porque é tão lindo continuar a ler literatura mesmo em meio à tantos textos acadêmicos e porque desenhos e joguinhos na aula são tão necessários quanto prestar atenção.

Calor porque rima com amor e eu nunca vou conhecer alguém que emane imensamente tanto amor quanto calor tão bem quanto você. Porque até o trabalho e a matéria mais chata do mundo fica melhor com você por perto. Porque o mundo inteiro fica melhor com um de seus sorrisos, ou um pedaço do seu lanche.

Calor porque eu estou sentindo tanto frio sem você por perto de mim todo dia, como costumava ser. Porque por mais que haja outras fontes de calor no mundo, nenhuma delas a carrega no nome, como você faz.

Calor porque eu sei que tive sorte, muita sorte, de em meio a tanta gente estar justo na tua frente na fila do xerox no primeiro dia de aula. Porque eu sei que tive muita sorte de poder te chamar de amiga. De poder te considerar a melhor amiga de faculdade que qualquer pessoa possa vir a ter. Calor porque eu tenho certeza de que não importa o tempo e a distância eu sempre vou poder contar com os seus olhinhos brilhantes, com a sua maravilhosa companhia para todos os sambas da vida e com o seu imenso coração, disponível para se unir ao meu. Porque eu sempre vou ter o seu cabelo para fazer carinho e os seus braços para abraçar. Porque apesar de você estar iniciando uma nova etapa na sua vida, fazendo com que o meu amanhã seja um dia completamente diferente, eu sei que a gente não precisa estar junto pra estar perto. Porque você é quente e calor a gente sente de longe.

Hoje a gente aprendeu que quando deixa de gostar das pessoas elas morrem aos pouquinhos, olha, você nunca vai morrer pra mim. Nunquinha. Porque sempre que eu sentir calor eu vou lembrar de você. Assim como sempre que eu ver lancy, pão de queijo, palavras cruzadas e roupas bonitas.

Calor porque muita gente tem amigos e eu tenho poneis, oompa loompas, unicornios, flores, peixes e diversas outras coisas, mas também tenho o mais essencial, o calor.

Então é isso, mais calor pro mundo porque é isso que o mundo precisa: manter-se aquecido. Por dentro e por fora. Porque se tem uma coisa essencial que você me ensinou é que além de quentura calor também é sobre fofura.

Muito obrigada por existir, desculpa o texto aleatório e por favor tire uma foto comigo algum dia, eu sei que a nossa beleza junta é demais pro mundo, mas você sabe que eu adoro desafios! 

Vamos falar de Energia sem dizer Analu

14 de Abril, para os curiosos, é o dia internacional do café. Só que além disso também é o dia do aniversário de uma GRANDE amiga minha e eu acho que as coisas acontecem porque devem acontecer, então passei o dia tentando bolar uma razão para que ela tenha nascido no mesmo dia em que é comemorado o dia da melhor bebida já inventada no universo.

Deparei-me, pois, com uma tarefa muito mais difícil que o esperado, afinal o que é que uma pequenina loira que batalha diariamente para não conseguir roer as unhas poderia vir a ter a ver com uma bebida? Nada, é o que vocês responderiam, mas eu encontrei o elo que faltava! O café é uma bebida mundialmente conhecida por dar energia às pessoas. Muita gente o toma somente para tentar ficar acordado, o que, na minha humilde opinião, é desperdício de uma belezura.

Até aí tudo bem: ela nasceu no dia do café porque é tão enérgica e boa companhia quanto ele. Só que iremos um pouco mais além, porque assim como o café impede muitas pessoas de dormir, ela também impede. Ela nunca dorme, pra falar a verdade. E ela também nunca faz xixi e ela adora tomar sorvete e ela abraça TÃO forte que você acha que está no céu. Ela acorda cedo, vai para a faculdade, depois vai para o trabalho, depois para a aula de teatro e ainda tem energia pra voltar pra casa e ficar até de madrugada conversando com quem quer que esteja online. E se ninguém estiver online ela fica acordada lendo ou vendo Grey´s Anatomy ou, mais recentemente, jogando Candy Crush Saga.  A energia dela é tão intrínseca que mesmo quando ela resolve passar o dia inteiro à base de um pacote de batata fritas ou o fim de semana inteiro se alimentando de misto quente ela continua sendo a mais elétrica do grupo.

Quando criança certamente era aquela coisinha branca e loira, toda rosadinha, que não cansava de gritar, pular, correr, brincar e insistir em não deixar ninguém em paz. Nunca.  Atualmente ela pode até ter crescido no tamanho, mas se alguém aí for capaz de me apresentar uma criança que não tenha se apaixonado por ela e me mostrar uma situação no meio infantil em que ela não tenha feito sucesso e não tenha saído correndo pra brincar com todo o resto da garotada podem ter certeza que algo de muito errado há com ela.

Seus olhos são enormes e de um azul tão absurdamente brilhante que eu costumo dizer que eles vivem sorrindo e quando a boca dela resolve fazer o mesmo, a coisa fica mais bonita que uma orquestra sinfônica tocando Bethoven. Uma foto de um sorriso espontâneo dela causa em mim um grau tão grande de euforia que eu simplesmente começo a rir sozinha. É que ela tem tanta energia dentro dela que a coisa emana, supera todas as barreiras possíveis e nunca cansa de agregar pessoas.

Ela pula, dança, corre, tira foto, atua, escreve, conversa, joga, telefona, é amiga e ainda sobra tempo, minha gente. Sobra tempo pra ser uma prima, sobrinha, filha, irmã, madrinha, afilhada e neta absurdamente dedicada e fabulosa, daquele jeito que toda a família sempre quis ter.

É claro que, assim como o café, ela tem certas desvantagens. A questão é que assim como o café ela é mundialmente aceita e os defeitos são tão ínfimos e pouco visíveis que quase todo mundo esquece. Os que não esquecem começam a fazer campanhas contra, como com o café, coisas como “café faz mal à saúde” ou “como vocês podem gostar tanto dessa coisa amarga?” que seriam “essa menina finge que o mundo é rosa” ou “é impossível que haja alguém tão awesome, ela deve ter um podre”, mas, assim como com o café, essas coisas duram alguns momentos. Logo redescobrem uma vantagem dela e tã dã ela virou a deusa grega que sempre foi novamente.

Hoje o dia amanheceu bonito, embora um pouco frio, algo que é bem raro para os domingos curitibanos que em geral são cinzentos e chuvosos. O dia acordou sorrindo porque sabia que hoje era um dia muito especial para uma pessoa que adora dias sorridentes. Com certeza hoje foi um dia normal na vida da maioria das pessoas, ainda mais porque quase ninguém sabe dessa história do café, mas o dia foi lindo lá na casa da Analu. Foi lindo porque teve bolo e mais do que bolo, teve refrigerante, presentes, família e, claro, crianças maravilhosas, daquelas que é impossível não sorrir ao estar por perto.

Por fim, sabem qual foi a melhor parte do elo encontrado? Analu não gosta de café! O sonho dela era gostar, claro, mas ela não gosta. Ela vai no Starbucks e pede uma bebida linda que deve ser deliciosa, só que ela fala “sem café” e eu fico indignada com o fato de alguém ir a uma ~~cafeteria~~ e tomar um ~~milkshake~~ mas no fundo sei que ela não seria tão especial se fosse tão comum quanto o resto do mundo. Só que eu encontrei uma razão para isso: ela não precisa gostar do café porque ela nasceu no dia dele, então ela tem a essência dele dentro dela. Ela é naturalmente ativa, só dorme quando sabe que o resto do mundo também dormiu e mesmo quando acorda amarga é só dar um tempo que ela fica mais doce do que um bom mocaccino. Ana Luísa + café seria uma redundância para qual o mundo não está preparado.

Melhor que 1L de café com chocolate <3
Melhor que 1L de café com chocolate <3

Ei, meu amor, desculpa pela demora do texto! Espero que seu dia tenha sido fantástico e que  seu ano também seja. Eu nunca vou cansar de repetir que se há uma pessoa que merece toda a felicidade do universo, essa pessoa é você. Porque você é uma pessoa boa e sabe o que acontece com esse tipo de gente? O mundo sorri pra elas. Você pode não ser grande na estatura, mas você vai ser muito grande na sua vida e eu sempre vou ter muito orgulho quando abrir um sorriso, derramar algumas lágrimas e dizer que você é minha amiga. Então dessa vez eu não vou dizer que amo você, vou dizer que amo mais ainda o café depois que percebi que ele faz parte de ti.

Efêmero e Contagiante

É assim que o mundo se encontra hoje e como poderia ser diferente? Hoje é aniversário de duas musas do mundo blogueiro, a Kamilla com seus textos opinativos e a Anna Vitória com seus textos sobre todas as coisas possíveis. O que elas têm em comum além da paixão por Audrey Hepburn e da mineirice? Claro! São minhas amigas!

Kamis faz direito na UNB, é aquela pessoa com cara de tímida mas que na madrugada vira outra completamente diferente. Ela adora mexer em seu cabelo e faz vídeos divertidíssimos, sem contar que ela é uma fofa e que eu morro de vontade de conhecer, já sobre a Bavis eu tenho muito mais a dizer…

Confesso que perdi muito tempo tentando descobrir quando foi a primeira vez que comentei no blog dela. Não consegui, mas leio aquilo desde meados de 2010, sempre comentando com muita felicidade por existir alguém assim no mundo. Porque ela e eu temos conexões que eu nunca tive com alguém antes, como gostar de One Direction, por exemplo. Anna Vitória entrou na minha vida como um link na barra de favoritos do blog da Ana Luísa, mas, graças ao pai Eterno ela deixou de ser apenas um link. E ela comentou aqui pela primeira vez, no dia da amizade, claro “No sexto livro da Harry Potter que eu tive noção de como era forte a amizade dos três. Acho que foi ali que eu caí na real e percebi que o Rony e Hermione tinham largado suas vidas, suas famílias, para acompanharem o Harry em uma jornada que eles não sabiam direito como era, se tinha volta, e se eles viveriam para contar a história. Sinceramente, às vezes me pergunto se eu seria capaz de tal força e lealdade. Eles são demais. Amigos são demais.Olha a Analu ali, hahaha! Beijo” e eu saí pulando pela casa porque eu tinha recebido um comentário da blogueira mais fantastica do mundo. Mal sabia eu que em breve descobriríamos pertencer à mesma árvore genealógica, participar do mesmo grupo de amigas e trocar cartas e comentários alucinados sobre filmes e seriados mundo afora. Ai, Anna Vitória…

Ela me mandou a carta mais linda e cheia de amor da minha vida e eu tentei retribuir, não sei se com tanto êxito. Ela me abraçou e falou meu nome com aquela linda voz de pônei e me mostrou que o mundo pode ser muito contagiante, mesmo em momentos pra lá de efêmeros. E eu sei que nem preciso me demorar nas homenagens porque ela entendeu o quanto a amo. Anna Vitória me ensina tantas coisas durante tantos dias que eu nem sei como retribuir e muito menos como escrever um texto à altura dela e foi por isso que eu mandei a carta de aniversário mais gay da minha vida, em papel rosa, dobradura de coração e perfume borrifado. Porque ela merece. Ela merece o mundo e ela só tem 19 anos, imagina quando tiver 50?

Hoje é aniversário da madrinha da minha futura filha Anna que eu espero que seja pelo menos um quinto parecida com sua honorável madrinha.

Parabéns, suas lindas <3

Je t’aime <3

Por favor, Pareça com um Deles.

Eu não acredito em casamento e por isso deixei de planejar o meu há tempos e desde então não faço ideia se algum dia me renderei a esse delírio humano, mas, com certeza, se eu fizer será uma coisa tão épica quanto aquele casal que apareceu no fantástico que casou mil vezes em lugares diferentes e tal, porque se eu casar tem que ser O casamento.

Analu desenterrou um meme mafioso e eu gostei da proposta e resolvi participar, afinal, sou a pessoa que quase a cada livro, filme e seriado que assiste elege um marido e passa a eternidade pensando em quão bom seria se ele realmente existisse e pudesse estar ao seu lado.

1 Richard Hardbeck, Skins

Meu personagem favorito de todos os tempos. Nunca vou me cansar de assistir a terceira geração de Skins só por causa dele. Porque ele é fantástico, é tudo que eu gosto em uma pessoa só. Ele gosta de boa música, abomina pessoas terríveis, tem um coração puramente metal, mas sabe ser doce como ninguém e quando quer ser romântico e apaixonante o faz com uma exelência incomparável. Ele se dispõe a casar fugido com quem ama só pra ter certeza de que sempre ficará ao lado da pessoa! Eu juro que se algum dia eu amar muito alguém vou torcer para que seja pelo menos um pouquinho Rich e que saiba falar inglês britânico pra complementar. Frio na barriga eterno por esse aí.

2 Sidney Jenkins, Skins

Sid é o nerd da história, aquele que mete os pés pelas mãos e acaba fazendo quase tudo errado, mas sabe consertar com sua sinceridade e honestidade e com o sorriso fofo que só ele tem. Escreveu a carta de amor mais legal da história dos seriados e não desistiu das pessoas que amava por mais que elas dessem razão para fazê-lo. Sid representa a perseverança e a graciosidade que eu adoro ver nas pessoas.

3 Clark Kent, Smallville

Esse me levava pro altar sem fazer esforço algum e nem tem uma razão específica que não seja a de, meu Deus, ele é lindo. Ok, Clark me protegeria como nenhum outro, mas também me colocaria em mlhões de perigos, só que eu sei que tudo valeria apena quando ele me pegasse nos braços e a gente voasse abraçados. Deve ser muito bom voar, oras.

4 Chuck Bass, Gossip Girl

Ele é o Chuck Bass, precisa dizer mais? Tá, eu digo. Chuck é aquele cara completamente errado, que sua mãe te alertou para não ficar com, mas basta ele te olhar com aquela cara fofa, falar qualquer coisa e em seguida dar aquele sorrisinho para que todos os seus receios sumam. Chuck estará presente no seu pior fiasco e na sua pior desgraça, ele vai te abraçar e te dizer exatamente o que você precisa escutar. Ele vai te decepcionar e tentar te trocar por dinheiro, mas depois vai fazer as coisas mais lindas do mundo pra tentar se desculpar e ele vai conseguir. Ele sempre consegue. Chuck enrolou um ano pra dizer que amava Blair e quando o fez foi para vários países da Europa, comprou as coisas preferidas dela e deu de presente dizendo eu te amo após cada um dos presentes, em uma das cenas mais lindas que já vi na vida. Chuck Bass me levaria para o altar com apenas um “oi” porque seria o melhor oi do mundo.

5 Patrick Verona, 10 Coisas que eu Odeio em Você

Outro cara errado. Eu sempre gosto dos errados, eu sei, mas Patrick é apaixonante, convenhamos. Ele faz as melhores declarações de amor que podem pensar em existir, mesmo quando você acha que ele vai ser um besta e que está decepcionando horrores, vai lá e conserta tudo e acaba virando o melhor cara do universo. Patrick sabe cantar, dançar, rir e tem ótimas histórias pra contar. Impossível negar um desses no altar, ainda mais se tiver essa aparência Ledgeriana.

6 Michael Moscovitz, O Diário da Princesa

O do pescoço cheiroso. Eu juro que vivo procurando por pescoços cheirosos só pelas coisas que aprendi com esse aí! Michael não fica com a garota só porque estão a fim e se amam eternamente, ele precisa se sentir digno dela. Então ele corre atrás, estuda, faz o máximo para se dar super bem na vida para só depois chegar e dizer “ei, fiz tudo isso pra você, ainda tá afim?” e, logicamente, a garota se derreter de amores e esquecer os anos que passou desejando a morte do idiota que a largou para ir pro outro lado do mundo. Michael é aquele cara absurdamente perfeito e íntegro que toda mãe pediu como genro e que eu adoraria poder chamar de meu.

7 Jude, Across The Universe

Ele é lindo, canta Beatles, é artista e odeia que alguém adentre em seu território previamente marcado. Jude encanta com aquela voz meiga e o rosto sujo, mas o que me faz querer casar, sem dúvida, é seu bom senso artístico. Seus desenhos fora de hora, mas completamente lindos, suas ideias esquisitas e a vontade de proteger sempre sua amada. É claro que seu fosse a Lucy teria tomado as mesmas atitudes que ela, porque não é legal ser impedida de fazer uma revolução, mas eu entendo o moço, ele não podia cogitar a ideia de perder o seu amor e por isso acabou perdendo e quando isso acontece só consigo morrer de vontade de pegar ele no colo, abraçar, dar carinho e dizer “larga ela e casa comigo, vai”.

8 Paulie Bleeker, Juno

Mais um nerd pra minha coleção. Bleek é o garoto esquisito que você normalmente teria vergonha de dizer que é amigo, mas se permite conhecê-lo melhor descobre uma pessoa fantástica, viciada em tic tac e que gosta de música. Ele sabe ser amoroso e não se importa em gostar de alguém que a mãe não aprove, demora mas acaba indo exatamente onde deveria, quando deveria. É todo certinho e canta tão docemente que me faz morrer de vontade de tê-lo pra ninar um de meus filhinhos.

9 Victor Van Dorst, A Noiva Cadáver

Ele é bonzinho, daquele tipo que quer fazer a coisa certa para todo mundo, agradar a maioria, quiçá a todos. Ele faz votos próprios de casamento e são lindíssimos. Toca piano, é mórbido, veste-se de preto e conhece um cadáver falante. Quero uma pelúcia dele pra mim algum dia, já que casar eu não posso.

10 Legolas, O Senhor dos Aneis

Ele é um elfo, o que o torna, automaticamente, o ser mais bonito do mundo. Como se não bastasse ele salva o mundo, nunca erra uma flecha, tem uma orelha linda e um cabelo loiríssimo invejável, olhos que enxergam o além e escuta o que ninguém mais escuta. Não mistura amor com trabalho e está sempre disposto a ajudar a todos e fazer o que é certo. Ganhou meu coração desde a primeira vez que vi e continua a ganhar a cada vez que revejo, se os elfos já são bons, garanto a vocês que Legolas é ainda melhor.

Infelizmente eu não vou conseguir me casar com nenhum destes, mas espero que eu me envolva amorosamente com alguém que ao menos saiba quem eles são e quem sabe seja um pouco parecido com algum deles. Caso isso não ocorra, que pelo menos seja uma pessoa capaz de me amar de verdade e de retribuir toda a minha graciosidade e, lógico, entenda que por mais perfeito que seja nunca será um de meus personagens favoritos que já foram meus maridos em alguns sonhos.