The River is Just a River

É isso que pessoas incompletas fazem, imaginam a completude.

Inventam histórias, personagens e pessoas para que possam sobreviver com maior eficácia.

Mas a imaginação não fornece todas as belezas da realidade, porque ela não é um suporte forte o suficiente para aguentar por muito tempo.

As vezes a imaginação morre e nós ficamos aqui largados, destinados a contentar-nos apenas com o palpável.

Percebemos então que estamos sozinhos e não fizemos nada até aqui, não importa quantas mãos de idade tenhamos.

Ficamos presos à nossa imaginação por tanto tempo que a realidade não é suficiente.

Não nos contentamos com a existência simples de um rio que na nossa cabeça sempre foi mais do que isso.

Vivemos presos.

Condenados à nossa ínfima existência e maravilhados com as portas para além dela que se abrem em nossa mente.

Todos somos Eponine, mesmo que não haja um Marius.

0 thoughts on “The River is Just a River

  1. Nem acredito que ainda não assisti esse filme. =/

    Quem nunca idealizou algo ou alguém apenas porque é melhor assim ou porque seria bom que fosse ou porque é complicado demais na hora para que possamos aceitar uma realidade que não é em nada aquilo que desejávamos que fosse?…
    Triste.

  2. Ai, amiga. Que texto. E que primeira frase. Arrepiei toda. Eu também vivo presa na minha imaginação, e apesar de às vezes reclamar, acho que ela me completa tanto..
    Te amo. <3

  3. Como a amiga Mia aqui de cima ainda não me perdoei por não ter assistido esse filme. E se as músicas dele me inspirarem metade de um texto gostoso e cheio de reflexão como esta te inspirou é uma perdição dobrada!

    beijoca

Comentários: