Toradora

Eu não sou do tipo que ama animes, na verdade não gosto muito deles. Quando digo isso não é porque tenho algo contra algum anime especificamente, é apenas porque não gosto de otakus e de gente que é viciada ao ponto de só conversar sobre isso o dia inteiro, como sou facilmente influenciável, prefiro me manter afastada de qualquer tipo de influência otaku, para não me transformar em uma.

Há algum tempo um amigo meu vêm insistindo para que eu assistisse “Toradora”, um anime que, segundo ele, eu iria gostar, porque é fofinho. Eu, sabiamente, resisti com firmeza por muito tempo, mas minhas férias são um poço de tédio sem fim e eu não aguentava mais ver primeiros episódios de série e não gostar delas o suficiente para seguí-las, então… Caí na tentação e comecei a ver o tal “Toradora”.

Agora que já terminei, posso dizer que devia ter resistido à tentação. Não que o desenho seja ruim, pelo contrário, é tão bom que me fez ter vontade de assistir a todos os outros animes que já me falaram que eram legais, o problema é que se eu fizer isso vou acabar sendo uma chata que só fala sobre animes!

Mas, como eu já fui tentada e já caí na tentação, vim até vocês com o intuito de tentá-los a fazer o mesmo que eu, assistir a “Toradora”.

Os motivos são simples, é uma história que mistura amor e amizade de uma forma surpreendente e todos os personagens são cativantes a ponto de você querer que todos sejam felizes e ficar desesperadamente triste quando percebe que só alguns atingirão a felicidade. A emoção corre solta, é tudo tão fofo e perfeito que você fica agoniado e triste só por perceber que seu mundo não é nem um terço daquilo, mas além de chorar bastante com a história, você aprende lições essenciais para a vida, além de rir bastante em alguns momentos e torcer para que tudo dê certo. É o tipo de coisa que você começa a assistir e não tem mais vontade de parar, é muito legal! Se vocês estiverem sem nada para fazer, baixem e divirtam-se!

Acreditem se quiser, mas eu até decorei a musiquinha! E o detalhe é que a música é em ~~japonês~~ -qq

Mas além de vir aqui falar sobre o anime em sí, vim falar especificamente sobre a personagem “principal”,Taiga Aisaka. Eu juro para vocês que nunca tinha assistido alguma coisa em que tivesse algum personagem tão parecido comigo quanto essa menina. Sério. Ela é parecida comigo em tudo! Todas as decisões que ela toma, são exatamente as mesmas que eu tomaria, tudo que ela faz é exatamente o que eu faria, somem isso com:  ela ser baixinha, brava, amar bater nos outros, um tanto grossa, mas extremamente fofa, inteligente, esforçada, não saber andar de bicicleta, ser super confusa e insegura e… tã-dã, SOU EU! Acho que a única coisa de diferente é que eu sei nadar, não sou milionária, não fui abandonada pelos meus pais e, hm… acho que só!

Eu ficava muito agoniada ao ver ela fazer exatamente todas as cosias que eu faria! Era como se ela lesse a minha mente antes de agir! E tudo que ela fez com o Ryuji? Eu também acabaria fazendo aquilo!  Aliás, já fiz algo parecido.

Sério… Assistam pelo menos para me dizer se eu realmente sou tão parecida com ela quanto penso ou é apenas imaginação.

Fora isso, eu finalmente entendi a real diferença entre amor e paixão assistindo esse desenho. No começo a Taiga e o Ryuji acham que amam a Kushieda e o Kitamura, mas na verdade eles são apenas apaixonados por eles, porque é impossível você amar de verdade alguém que você nem conhece direito. Já nos primeiros episódios você percebe que a Taiga vai acabar amando o Ryuji e isso realmente acontece, mas não porque eles estão encantados com o rosto um do outro ou algo do tipo, mas sim porque a amizade deles ficou tão forte que, mesmo involuntariamente, construíram um amor. O amor real não surge do nada, é construído após algum tempo e exige esforço de ambas as partes, mas muitas vezes é difícil perceber que ele existe e muitas vezes perceber isso não é o suficiente para começar a viver à base dele. Mesmo amando verdadeiramente alguém, não é apenas isso que importa. Não é só por causa disso que você vai automaticamente se casar com a pessoa e estará destinado a um futuro feliz e farto, o amor não vem sozinho e quando uma pessoa não se sente segura e não é madura o suficiente para conviver com este sentimento, ela acaba dando um jeito de se livrar dele, pelo menos por um tempo. Mas se você realmente ama alguém, não importa para onde ou por quanto tempo a pessoa resolva fugir, quando ela voltar e estiver pronta para viver o amor, você a aceitará de volta e, mesmo tendo sofrido com sua partida, entenderá seus motivos para ter feito isso.

Esse anime me mostrou que meu futuro marido tem que ser uma mistura perfeita do encanto e charme de Chuck Bass com a ingenuidade de  Sid Jenkins, um pouco da lealdade de Ron Weasley,  toda a fofura e prestatividade de Ryuji Takasu, além do jeito diferente de amar que cada um deles possui!

Se algum dia encontrarei alguém assim? No mundo real não, mas é para isso que servem a sua cama, seu travesseiro e cobertor, afinal… O que seria uma pessoa se ela não tivesse sonhos e metas?

Tenham uma boa semana!

P.s.: Obrigada Thiago, por ter me feito assistir a isso. Eu realmente estava precisando de algo assim!

4 thoughts on “Toradora

  1. EU AMO TORA DORA! A Taiga é uma típica Tsundere que você encontra em alguns outros animes do gênero *-* Somos duas que nos indentificamos o/ Poxa, eu sou otaku mas não falo só de animes…. XD Mas tudo bem, tem alguns que são assim mesmo. Anyway, esse anime é tão legal que eu até acabei fazendo cosplay da “Tigresa de bolso” HAHA! Bem, eu até te indicaria Clannad (que é ÓTIMO,chorei muito) e AnoHana (outro anime lindo!) mas você vai resistir então.. XD Mas se quiser, qualquer dia confira e não vai se arrepender, prometo! Gostei do blog, a gente se fala por aí ^^

    1. Nas próximas férias eu assisto esses dois! Toradora me fez perceber que alguns animes podem ser legais, basta ter uma boa indicação! haha
      Volte por aqui sempre, visitarei o seu blog também!

  2. Toradora foi um anime que eu um menino sim… gosto desses tipos de animes românticos hehe mas enfim foi um anime que eu achei por acaso nunca tinha ouvido falar estava cansado de jogar e jogar resolvi viver em outro mundo sim pra mim otaku ou gamer não é um viciado em animes ou jogos mas alguém que gosta de viver milhoes de vidas ao invés de uma só! E o final hehe eu sou homem sou hetero e pah alguns podem casoar porém chorei ao ver isso… e pensar que minha primeira namorada possa ser parecida com a Taiga me faz rir doi quando penso que talvez não terei namorada(não sou o Takasu mas penso assim) porém Deus tem um sapato velho pra cada pé descalso(eu sou o sapato velho) hehe desculpa o texto mas tá aí um pouco de mim.

Comentários: