True Blood

         Ainda falando de séries de vampiros, vou apresentar uma que trata mais do ponto de vista dos vampiros do que dos humanos, que é o oposto do que acontece em Buffy – The Vampire Slayer. Em True Blood, a trama gira em torno justamente da convivência entre vampiros e humanos, na cidade de Bon Temps, localizada em Louisiana (sul dos Estados Unidos da América).

         Tudo começa com a garçonete Sookie Stackhouse, interpretada pela Anna Paquim. Ela tem uma habilidade anormal, a de ouvir os pensamentos alheios (coincidentemente, a mesma coisa que o Edward Cullen). Eis que chega um sujeito em seu bar e ela não consegue ouvir seus pensamentos, logo descobre que se trata de um vampiro e que sua telepatia não funciona por sobre membros desta espécie. No decorrer do seriado, descobrimos que isso se dá pelo fato de vampiros não terem alma e, com isso, terem perdido sua humanidade.

         Os vampiros da série, porém, são um pouco mais legítimos do que os de Crepúsculo. Primeiro porque eles realmente se alimentam de sangue humano, segundo porque são seres noturnos. Caso andem no Sol, entram em combustão instantânea e viram pó. Também são torturáveis com prata e podem ser mortos com estacas de madeira diretamente em seu coração (como ocorre em Buffy). Eles vivem por muito tempo, o ritual para criar um novo vampiro envolve dormir com ele embaixo da terra (ou algo assim) e a maior parte deles, de fato, dorme em tumbas ou coisas semelhantes. É claro que o fazem apenas durante o dia. Podem interagir com humanos e frequentar locais que eles frequentam.

         Considerando que vampiros e humanos co-existem, temos que considerar as razões para tal. Visto que vampiros se alimentam de sangue humano, para que houvesse a coexistência garantida por lei, era necessário garantir que seria possível uma convivência pacífica. Graças à uma empresa japonesa capaz de fabricar sangue sintético, essa garantia se fez pronta. O sangue sintético é chamado de “True Blood” e vendido em garrafas, tendo disponíveis todos os tipos sanguíneos. O interessante é que, enquanto o sangue humano serve de alimento para os vampiros, o sangue dos vampiros serve como droga para os humanos. Isso faz com que algumas pessoas façam trocas, oferecendo seu sangue humano em troca de algum sangue vampiresco. A droga é a mais perseguida pela polícia local e seu efeito parece melhor do que qualquer outra droga conhecida, o que atrai diversos usuários. Além de tudo, basta uma gota de “V” (como é chamado o sangue dos vampiros) para que os efeitos alucinógenos tenham início.

         Além dos vampiros, porém, a série agrega outros seres fantásticos em seu decorrer, discute alcoolismo, homossexualidade, fanatismo religioso, magia e consegue até colocar a Lilith no meio da história.

         Os personagens principais são a já citada Sookie, seu patrão Sam Merlotte (Sam Trammel) e seus companheiros de trabalho: Lafayette Reynolds (Nelsan Ellis), Arlene Fowler (Carrie Preston). Além disso, há sua melhor amiga Tara Thorton (Rutina Wesley) e sua mãe Lettie Mae Daniels (Adina Porter). O vampiro que aparece em seu bar logo no primeiro episódio, e por quem ela se apaixona, Bill Compton (Stephen Moyer), a vampira que ele é obrigado a criar, Jessica Hamby (Deborah Ann Woll). O xerife da cidade, Andy Bellefleur (Chris Bauer) e o irmão de Sookie, que é o policial mais mulherengo que já existiu, Jason Stackhouse (Ryan Kwanten). Além disso há os vampiros festeiros, o dono da boate “Fangtasia“, chamado Eric Northman (Alexander Skarsgard) e sua secretária, melhor amiga e a primeira vampira que ele criou, Pam Swynford de Beaufort (Kristin Bauer van Straten). Há ainda uma série de outros personagens, que se tornam relevantes nas temporadas em que aparecem.

         O seriado foi produzido pela HBO e está disponível no HBO NOW, além disso, é possível encontrar dvd’s para comprar e ainda fazer o download dos episódios via torrent. A classificação indicativa é 18 anos pelo fato de ser altamente violento, aparecer muito sangue e pessoas peladas. As temporadas têm uma média de dez episódios e eles duram quase uma hora cada um. A trilha sonora é muito bacana e a música de abertura bastante sugestiva.  Cada temporada apresenta um novo mistério, que é resolvido até o final da mesma. São sete temporadas no total e a série foi finalizada em 2014.

A série é bastante conhecida entre o público feminino, por ser uma das poucas onde a objetivação do corpo masculino acontece sem o menor pudor. Enquanto na maior parte das produções vemos muitas mulheres peladas e objetivadas, em True Blood o grande destaque é para a beleza masculina. Além disso, o sotaque sulista da série e o universo inteiro que ela cria são bastante atraentes para o telespectador. Os episódios são bastante envolventes e é muito difícil não considerar um bom seriado de vampiros.

Comentários: