Um dia musicado

Não sou dessas pessoas com alto índice de cultura musical, na verdade sou alvo da indústria cultural neste aspecto. Minhas bandas favoritas estão sempre na mídia e escuto sempre aquelas músicas que todo mundo escuta, não é aquela coisa linda o meu gosto musical, mas pelo menos ele é bem diversificado… De qualquer modo, não estou aqui para discutir a respeito de gostos musicais.

Tenho amigos diversificados (como sempre digo) e uma delas é cantora lírica e ela estuda música há muito tempo, sabe toda a história da música e blablabla e eu acho isso muito lindo e maravilhoso, realmente admiro quem tem tais conhecimentos, porque eu acho música clássica linda, mas não compreendo tudo, infelizmente. O fato é que esta minha amiga me convidou para ir a uma ópera com ela no fim de semana, eu nem sabia que era comum haver apresentações de ópera nessa cidade, mas não pensei duas vezes, concordei e fiz o maior esforço para conseguir ir, mas eu fui.

Não conheço muito sobre música, tudo que sei é que Mozart e Bethoven eram sempre escutados por mim enquanto eu estava na barriga da minha mãe, segundo ela, eu ficava muito mais calma quando os ouvia. Desde então posso até ter escutado um pouco dessas coisas, mas não com muita atenção. Mesmo assim fui a tal ópera, com a esperança de não entender nada e até dormir, enganei-me.

A ópera apresentada foi “O Empresário” de Mozart, mas não foi uma versão feita somente com cantores, em alemão e com três horas e meia de duração, foi meio que uma ópera teatral, em português, com a presença de atores, duração de uma hora e meia e legendas para as músicas. Eu nunca tinha visto legendas em teatros, achei muito legal! É como se eu estivesse vendo um filme que acontece ao vivo, muito legal.

No fim das contas, assisti uma importante ópera de Mozart, diverti-me com a história, emocionei-me com as músicas e saí de lá completamente admirada com a capacidade dos cantores. Acho que se me colocassem para cantar ali, eu ficaria três semanas sem conseguir falar nada depois. Foi surpreendente ver aquelas pessoas atingirem notas altíssimas e continuarem a falar normalmente quando terminaram de cantar, acho que eu realmente não conseguiria. Além dos cantores teve também uma orquestra e foi muito lindo! Aqueles instrumentos que eu não faço a menor ideia do nome, todos em sintonia, um maestro mexendo as mãozinhas e o cabelo, foi lindo.

Cheguei em casa extasiada e pensando “Preciso ver mais óperas!” e, é isso. Eu preciso ver mais óperas!Preciso conhecer um pouco mais sobre óperas, autores, cantores, músicas, para que um dia eu possa ver uma ópera inteirinha feita em alemão ou italiano e obter completo entendimento! E se você nunca foi a uma ópera, assim como eu que nunca tinha ido, não perca a oportunidade, não dá para se arrepender, é simplesmente LINDO.

Obrigada pela companhia, querida Camila Tatar 😀

0 thoughts on “Um dia musicado

  1. Eu acho ópera uma coisa tão forte e bonita! Uma vez, no cinema, vi o trailler de um filme sobre ópera, e me arrepiei só com isso!
    E nossa, legenda no teatro? Como que brinca disso? Nem sabia que existia. =P. Achou que perguntar pra tia Airen o que ela acha de falarmos o diálogo do Heiner Muller em alemão com legendas.. -not
    ahahhaha
    Beijos! (PS: Faltam 18 dias!)

    1. Tinha no fundo uma tarja preta onde aparecia as legendas das músicas. Provavelmente escreveram a tradução no powerpoint e passaram com slideshow na parte preta do cenário, não parece complicado, achei super inteligente e legal! Quero fazer uma peça em outra língua com as legendinhas ali, muito mágico! HAHA
      Só 18 dias? Aguardo ansiosamente, hein? haha
      Beijos!

Comentários: