Um post sobre Tarantino

Acho que vocês estão cansados de saber que sou uma tremenda viciada em filmes, certo?

Mas descobri que não havia visto nenhum filme de Tarantino, embora já tivesse ouvido falar tanto dos filmes quanto dele, nunca tinha tido oportunidade de assisti-los, então meu novo amigo Leo, que tinha alguns filmes dele, fez uma “troca cultural” comigo, emprestei filmes que considero bons, reflexivos e úteis para a vida e ele me emprestou alguns do nobre Tarantino.

O primeiro a ser assistido foi Pulp Fiction

E… Puxa vida que filme legal! É de 1994 e ganhou Oscar de melhor roteiro, no elenco estão John Travolta, Uma Thurman, Bruce Willis e Samuel L. Jackson.

O cabelo do John tá muito engraçado.

E o roteiro do filme é realmente ótimo. Os diálogos são maravilhosos, o modo como filme é montado também é muito bom, as cenas de ação são extremamente bem feitas e a atuação está impecável.

Além de tudo isso a trilha sonora também me chamou bastante atenção, nunca tinha notado trilhas sonoras de filmes de ação, mas a desse filme, era impossível não ficar impressionada.

Outra coisa que me chamou atenção foi o fato de ser um filme classificação 18 anos e não ter quase nada demais. Hoje em dia teria sido classificação 14, com certeza.

Com esse filme descobri que agulhas me dão aflição, o que significa que nunca vou me drogar.

Também aprendi como salvar alguém com overdose e a nunca andar com uma arma que tem capacidade de disparar sozinha.

Aprendi que talvez milagres existam, mas que mudar a vida por causa deles é bobeira.

E aprendi, acima de tudo, que Tarantino sabe realmente como dirigir filmes.

Resultado? Eu queria mais.

E foi aí que apareceu Beatrix Kiddo para mudar a minha visão de mundo, mais uma vez.

Em Kill Bill Uma Thurman se superou. Ela me fez lutar com ela e apoiá-la, me fez querer que ela conseguisse matar o maldito Bill, me trouxe bastante intensidade, perfeito.

As cenas do filme eram ótimas também, muito bem desenhadas e com efeitos super legais! Duvido que tenha tanto sangue assim dentro de uma única pessoa, mas é muito legal ver cenas de mutilação e o sangue se espalhando por aí! Fiquei com uma tremenda vontade de ter uma espada de Samurai, porque é muito mais útil do que uma arma de fogo, sério.

No Volume 1, o filme é essencialmente ação. Há partes que se passam no Japão, com Lucy Liu falando em japonês e tudo mais, há partes em anime, muito boas também e há a típica trilha sonora impecável. No entanto, como o meu professor de biologia já havia me alertado, a cena mais legal é a primeira. Quando a noiva luta com Vernita Green, há também um ataque absurdo de adrenalina no momento em que ela luta com Gogo. E o final? Quando ele chega tudo que você consegue pensar é “QUERO O VOLUME 2 AGORA!” e eu tinha o volume dois ali do meu ladinho e comecei a assistí-lo.

Eu realmente queria que ela conseguisse matar o Bill. Mas no volume 2 a ação não era a mesma, não tinha muita mutilação e cenas completamente sanguinárias, era um filme mais brando, talvez até dócil. A coisa que eu achei mais engraçada foi a sobrancelha de Pai Mei.

Não sei, sobrancelhas realmente me intrigam e as dele eram muito intrigantes. Fiquei com uma tremenda vontade de encostar e poder pentear.

Concluí que se eu tiver inimigos muito poderosos algum dia, necessito aprender Kung Fu e como quebrar madeira com a mão, vai me ajudar.

O legal deste volume é que você fica super ansioso pra hora em que ela finalmente vai matar Bill e quando ela chega na casa dele, o filme muda totalmente o rumo. Eu fiquei completamente emocionada e rezando para que ela desistisse de matá-lo. Colocaram uma criancinha MUITO fofa no meio do filme e crianças deveriam ser o ponto fraco de qualquer assassino. O final é perfeito.

Com o término destes três filmes concluí coisas muito importantes:

1- Tarantino é o cara.

2 – Preciso colecionar trilhas sonoras.

3 – Quero mais filmes de Tarantino.

O próximo da lista vai ser Bastardos Inglórios, darei um jeito de assistí-lo nessa semana ainda.

Mas esse post não era para ser sobre os filmes de Tarantino e sim sobre ele.

Então vamos lá…

Se você nunca ouviu falar deste ser ou nunca viu um filme dele, está perdendo muita coisa e por quê? Porque ele tem ótima criatividade para roteiros, a montagem dos filmes é impecável e a forma com que a história é contada também é bem intrigante. Além disso Tarantino é um multi-funções do cinema, ele é diretor, roterista, produtor, ator e tem uma coleção imensa de prêmios e indicações. Seus filmes sempre são bem aclamados pelo público e rendem milhões em bilheteria. Ele criou grandes tendências cinematográficas que são atualmente copiadas por diversos diretores. Além disso em seus filmes ele costuma inventar marcas de cigarro, comida e os nomes dos restaurantes que os personagens frequentam. Acredita-se também que há uma ligação entre os personagens e é por isso que vários atores são sempre chamados, dizem ainda que os filmes estão todos inter-relacionados.  No fim das contas, caros amigos, gostaria de dizer-lhes que Tarantino é O cara e que se você não o conhece, trate de conhecê-lo.

Bom… Essas são algumas das coisas que acontecem comigo depois que vejo filmes muito bons: histeria.

4 thoughts on “Um post sobre Tarantino

  1. Estou meio em dívida com o Tarantino, só assisti Bastardos Inglórios e Sin City. Aliás, esses dois filmes são o máximo, super te recomendo, Mayra! Principalmente o Bastardos que é animal e têm umas sequências de matar de tão boas. Tô com Cães de Aluguel pra assistir aqui e vou tentar ver o mais rápido possível, além dos outros recomendados no teu post. Beijo :*

Comentários: