Uma Ovelha (pra lá de) Negra

Eu não tenho preconceitos raciais, é bom avisar porque na atual conjuntura uma mera palavra já significa toda uma ideologia que por diversas vezes não existe na cabeça de quem a pronunciou. Escrevo em prol das ovelhas negras, afinal não sei de onde tiraram que elas são as malucas da história. Certo que provavelmente o ditado surgiu baseando-se no fato de que em um grande rebanho de ovelhas brancas, geralmente há uma ou poucas ovelhas negras e elas são diferentes, talvez tenha sido isso que quem inventou o ditado quis dizer, que as ovelhas negras eram diferentes. Somente isso. Mas imaginemos que é um rebanho de ovelhas negras e há apenas uma minoria de brancas? Então o diferente seria o branco, o que me leva a crer que a diferença não está de fato na cor e sim na base de observação. Na amostragem feita. Talvez as ovelhas brancas sejam mais desengonçadas, esquisitas e malvadas que as negras, mas por serem a maioria acabam por serem tomadas como “normais” enquanto as negras, coitadas, que estão em menor quantidade são reconhecidas pelo mundo como as ovelhas malvadas. Ah! Como poderia uma ovelha ser malvada?

Pra falar a verdade esse texto tem o nome do meu perfume. Eu sempre fui a ovelha negra no quesito perfumes, aquela que acha um absurdo usar algo que vai mascarar seu cheiro e impedir que seus feromônios ajam corretamente sobre seu verdadeiro amor até que você acabe triste e sozinho pelo simples fato de ter escolhido usar um perfume maldito. Então eu fui obrigada a comprar um perfume em uma brincadeira de perfumes com nomes que parecem com as pessoas. Segundo a determinante perfumesca, sou uma ovelha para lá de negra. Perdoei-a a primeira instância pelo fato inimaginável de que o perfume tem um cheiro delicioso e viciante e porque uma sábia pessoa informou a mim que o perfume tem um cheiro diferente em cada pessoa e assim sendo os feromônios não são muito afetados. No fim das contas, eu posso encontrar meu grande amor mesmo usando um perfume que diz que sou uma ovelha negra.

Ser uma ovelha negra. Eis a questão. Baseando-me na conclusão feita até agora que o ditado tem a simples intenção de designar que algo é diferente, certamente eu sou uma ovelha negra, por outro lado, assim sendo, todos são ovelhas negras tendo em vista que todos pensam e são diferentes de algum modo em relação a alguma coisa. Eu sei que atualmente nada é original e que o meu diferente certamente é idêntico ao diferente de outra pessoa, mas se eu não conhecer essa pessoa meu diferente continua sendo diferente e creio que seja isso o mais importante. Em relação à minha família não me considero uma ovelha negra, pois ninguém se importa em ser diferente de ninguém e muito menos tenta ser igual a alguém, mas para com meus parentes eu possivelmente seja uma, tendo em vista que meu cabelo é colorido, eu gosto de rock e sou fã de Harry Potter, por outro lado, para a minha pessoa eles é que são ovelhas negras por passarem a vida na igreja rezando para ir para o céu ao invés de vivendo-a sabia e respeitosamente para assim atingirem o céu, já que é nisso que acreditam. Certamente sou a ovelha negra de vários de meus grupos de amigos, pois por ser uma pessoa diversificada tenho um grupo para cada quesito e se me encaixo no grupo por gostar de matemática, certamente me desencaixo por ainda assim ser melhor em português e assim vai. A questão central porém é de que se eu for reunir todos os lugares em que eu possa ser considerada ovelha negra realmente é na suma maioria deles, o que me faz crer que de fato eu talvez seja uma ovelha PRA LÁ de negra, já que fui criada num sistema democrático e minha base de pensamentos sempre volta a esse rumo. Mas veja bem, ser uma ovelha negra não significa que eu seja a chata do contra que odeia tudo que está no auge simplesmente por odiar, eu até gosto de coisas que estão no auge, mas desgosto de muitas e gosto e muitas outras que pessoas normais nem desconfiam da existência. A questão é que acho que eu não honro minha posição, pois nunca soube de um pai ou mãe que tenha dito para o filho não andar comigo por ser má companhia. Eu sempre quis ser a má companhia, mas minha carinha de criança e o jeito doce de ser sempre me impediu e ai, nem preciso comentar o quanto isso me magoou.

Quanto ao perfume, não sei a razão de seu nome, mas posso garantir que encaixou perfeitamente em mim, talvez tenhamos o mesmo tom de negro, não sei. O fato é que atualmente não consigo viver sem ele, não consigo sair de casa sem ele, não consigo deixar de passá-lo em meu punho e ficar cheirando por horas, sempre que estou entediada com algo. Talvez essa coisa de se viciar em um perfume específico seja própria de ovelhas negras, ainda não sei. Sou novata no assunto no fim das contas. Quanto às ovelhas, elas podem sim ser malvadas, ou pior, elas são como eu, com cara de boazinha e fofa mas que quando aparece um lobo por perto ao invés de sair correndo vão lá e enfrentam e enquanto o pastor não afasta o voraz uivador a pobre coitada fica lá, mesmo que saiba que morrerá caso continue, pois é melhor morrer do que deixar que os outros morram. Aliás, acho que esse deve ser um dos papéis da ovelha negra, provavelmente ela chama mais atenção do lobo e corre mais riscos, afinal, infelizmente, sempre acontecem coisas ruins à minoria. E é por isso que eu sou a favor das cotas, aliás, porque a minoria em cor e a maioria em classe social mais que merece ter a mesma oportunidade que eu considerada branca e de classe possivelmente apta a me classificar a um curso universitário, ou será que eles são inferiores e menos aptos simplesmente por serem diferentes? Creio que não. Aprendi recentemente que nossas diferenças são nossas maiores virtudes, é uma das filosofias do meu novo professor de teatro. Por exemplo se você não gosta do seu nariz por considerá-lo grande e fizer uma plástica para diminuí-lo, pode aparecer um papel maravilhoso que você não se encaixará por não ter um nariz grande, assim sendo, sua diferença torna-se sua principal característica e sua maior arma, pois você se torna apto a algo incomum por ter algo incomum e no fim das contas não há nada melhor do que ter algo incomum. Por isso meu cabelo é verde, afinal se é para ser ovelha negra e ter uma grande característica não faria sentido ter cabelo preto, todos o possuem, mas cabelo verde é algo mais restrito, mais excêntrico, até mais que cabelo roxo e assim sendo eu sou mais especial, mais negra, mais diferente e mais virtuosa e quer saber de uma coisa? Não há nada mais legal do que se sentir assim.

P.S.: Eu fiz uma vídeo resenha sobre o livro “O Segredo de Jasper Jones”, confiram!

0 thoughts on “Uma Ovelha (pra lá de) Negra

  1. Ah, você é a ovelhinha negra comunista, que adora cotas, e que tem o cabelo verde no meio de um semestre de teatro de época! E eu adoro você e morro de orgulho das suas posições fortes pelo seu modo de colocá-las, mesmo que eu seja contrária a elas! Essa é a magia da vida, ou não? <3

  2. Mayroca, minha prima-ovelha-roxa-que-agora-é-verde-água <3 O que eu acho mais legal e você é seu orgulho em ser diferente, sua coragem para sustentar seus posicionamentos, por mais pouco ortodoxos que sejam, e sua opinião forte. Admiro muito pessoas assim e fico muito feliz em saber que sou prima de uma menina tão legal e cheia de atitude como você.
    Beijos <3

  3. Ai, Mayra, eu acho que por estar em ano de vestibular, fico muito afoita quando o assunto é cotas. Eu poderia falar e falar mil coisas aqui, mas não tenho tanta coragem quanto você e, na verdade, prefiro guardar minha opinião (que é BEM diferente da sua) pra mim mesma.
    No mais, super legal o negócio dos perfumes… Queria ter o meu!

    Beijos

  4. Na realidade, há toda uma questão racial sim em torno do termo “negro” ou “negra” como sufixo de alguma coisa. Ao exemplo de “magia negra”, “a coisa está ficando preta”. Há um sentido obviamente muito mais religioso também em tudo isso. Por que a pomba da paz não é negra? Pense nisso.
    Quanto ao perfume, eu sou muito olfativa. Gosto das pessoas principalmente pelo cheiro que elas transmitem. Nunca fui de notas fortes, com exceção dos momentos essencialmente sedutores. O meu perfume diário é floral e frutal. No geral também doce, mas com intenção de ser fresco. E a escolha de um perfume é como a escolha de um estilo de vida ou modo de se vestir. E penso sinceramente que você encontrou a metade da tua laranja em um frasquinho de ovelha-negra. Não é uma descoberta excelente quando ocorre?
    Abraços.

Comentários: