Viver é uma grande aventura.

A semana de Sessão da Tarde foi ótima! Vida de Insetos, High School Musical, O Diário da Princesa e hoje, pra fechar, o maravilhoso Peter Pan!

Eu nunca havia visto a versão que passaram e eu me apaixonei por ela.

Cada momento emocionante de uma das histórias mais legais, apimentado com uma dose de amor juvenil, foi brilhante. Na verdade não me lembro direito do real Peter Pan, mas acho que na animação da Disney, Wendy não se apaixonava por ele e os Meninos Perdidos não iam morar com ela no fim, quer dizer… Eu não me lembro dessa parte. Não me lembro de ter algum beijo e não me lembro de várias coisas, não sei se é porque assistia a esse filme apenas quando era muito pequena, ou porque realmente são partes exclusivas dessa versão.

O fato é que Peter Pan é uma história encantadora, que também faz refletir muito, mas não vou falar aqui as reflexões.

O ator era lindo, o nome dele é Jeremy Sumpter e eu me apaixonei, sério. Ele atua super bem e eu olhava para ele e via o lindo Peter Pan e pensava “se eu fosse Wendy, também me apaixonaria por ele”.

E o melhor ainda foi que deu pra usar a tecla SAP para assistir e eu vi o filme inteirinho em inglês britânico e… Gosh… Eu AMO inglês britânico. Acho que me deixa mais fricking out do que francês, sabe? Aquele sotaque é magnífico. Impossível não se apaixonar.

Pra quem nem queria ver o filme, eu acabei rindo, chorando, me apaixonando, gritando, cantando e torcendo desesperadamente para que Peter sobrevivesse e ficasse com Wendy. Lógico que me decepcionei no final… Queria que ele crescesse e vivesse, mas tudo bem… Ele viveu em Neverland que, cá entre nós, deve ser um dos lugares mais perfeitos do universo.

E sabem de uma coisa? Eu tenho essa síndrome de “Peter Pan”, odeio pensar que estou crescendo, odeio olhar pras minhas bonecas e não saber mais como brincar… Queria ir pra Neverland. Principalmente se Peter Pan fosse lindo como o do filme!

A coisa que mais me marcou no filme foi quando o Capitão Gancho conta pra Wendy que Peter é incapaz de amar, ele é apenas uma criança e crianças não possuem esses sentimentos. And this is why I want to be a child again! hahah É engraçado pensar que hoje em dia gente mais nova do que a Wendy do filme já tem namorados e se dizem super apaixonados… Bobos, deviam aproveitar a infância que é a parte mais linda da nossa vida.

E o que eu posso dizer para terminar o post?

I DO BELIEVE IN FAIRIES! I DO! I DO!

0 thoughts on “Viver é uma grande aventura.

  1. Que delícia de post, Amy! Eu amo esse filme e também me apaixonei perdidamente pelo Jeremy Sumpter na época que assisti. E ficava falando que acreditava em fadas na hora em que eles fazem isso no filme 🙂 É um doce mesmo! Também tenho um pouco dessa síndrome de Peter Pan e acho que as crianças de hoje estão pulando a etapa mais gostosa, inocente e divertida da vida. Lamentável. Quando eu tiver filhos, vou fazer de tudo pra conservar a fantasia na vida deles!
    Beijinho!

  2. Ai que lindo esse post. Eu amo esse filme, muito mágico. Ontem mesmo estava olhando para minhas barbies antigas e fiquei me perguntando: “quando será que brincar perdeu a graça?” Queria muito saber como fazer isso de novo, porque era tão bom. Vontade de voltar a infancia e não sair mais. Pensar que estou ficando velha me deixa louca.
    Beijo (:

  3. Ei May! Você tocou num ponto em que eu não tinha pensado? Realmente nós desaprendemos a brincar. Acho que se eu pegar uma das minhas bonecas eu não vou ter a mínima noção do que fazer. Isso me deu uma vontade de chorar! Eu nunca vi essa versão do filme, mas parece linda mesmo. E realmente, crianças namorando são o fim da picada. Crianças podem ter aprendido a amar, mas ainda não aprenderam a se apaixonar.. Beijos

Comentários: