Well… Fuck you.

Vim aqui por dois motivos específicos: 1- Pedir desculpas à vocês pela falta de textos interessantes e bons de serem lidos. Não tenho da onde tirar ideias, nada acontece na minha vida e a cada dia surge mais uma coisa que me deixa revoltada, está ficando complicado sobreviver dentro desta minha pequena carcaça corporal, mas prometo a vocês que assim que uma ideia brotar eu a publico por aqui. Tenho pensado muito, mas nada que alguém entenderia se lesse.

2 – Preciso descontar um pouco da minha raiva em algum lugar e, como não quero ser grossa e ofender pessoalmente alguma pessoa importante para mim, escreverei sobre o que me aflinge aqui, onde escrevo para ninguém e todo mundo, ao mesmo tempo.

Começarei minhas divagações agora e aconselho a você que tem algo a fazer que pare por aqui sua leitura, porque de nada servirá para o funcionamento de sua vida.

AS PESSOAS ME IRRITAM.

Tenho essa síndrome de tempos em tempos e é meio que normal, mas não consigo fingir que nada está acontecendo, quando de fato está. É uma merda ser eu. Por que? Porque sou diferente de todas as pessoas com as quais convivo e elas têm a incrível capacidade de se sentirem superiores a mim e tentarem me provar isso das formas mais absurdas possíveis. Tento não ligar, levar na brincadeira, rir um pouco, mas as vezes não dá. Me irrita demais o fato de ninguém realmente se importar comigo, sabe? Chegar na escola com a cara inchada por ter chorado a noite inteira e simplesmente não existir UMA única pessoa que perceba que minha cara está inchada! As pessoas nunca vêm falar comigo, a não ser que eu vá até elas e depois têm a cara de pau de dizer que “sentiram saudades”, sentiram saudades UMA OVA. Se sentissem a minha falta, perceberiam a minha falta e me procurariam para ver o que aconteceu. Nada do que eu faço me dá prazer, nada me deixa feliz. Passo os dias inteiros me sentindo uma idiota que faz tudo que todos mandam e finge ser alguém diferente dependendo de quem está por perto, mas se esquece de suas próprias vontades, desejos e fetiches. Me sinto uma tremenda burra por não ter a capacidade de sentar numa cadeira e estudar. Me sinto uma tremenda retardada por querer fazer faculdade de ciências sociais, mas nunca ter parado para tentar ler um livro de Marx. E, acima de tudo, me sinto sozinha, mesmo quando estou rodeada de pessoas. Me sinto sozinha porque sei que mesmo que elas olhem nos meus olhos e digam que me amam, não sentiriam a minha falta caso eu desaparecesse. Me sinto inocente e boba por acreditar nas pessoas, mesmo quando elas não têm cara de que merecem minha confiança, não consigo pensar que existe alguém mau a ponto de nunca ser bom. Mas, principalmente, estou ficando muito cheia de toda essa superficialidade e falta de emoção na qual estou inserida. Sinto que preciso fazer algo novo, arriscado, perigoso. Preciso de adrenalina para conseguir sobreviver por aqui mais algum tempo. Não sei como conseguí-la, não sei até que ponto sou capaz de seguir as regras, não sei até que ponto consigo ser má, não sei porra nenhuma e fico aqui escrevendo como se fosse conhecedora do destino. Resumindo, tudo que tenho sentido ultimamente é uma tremenda vontade de olhar na cara de todas as pessoas RIDÍCULAS que me oprimem e fazem com que eu me sinta um lixo e dizer “FUCK YOU!” Mas tenho medo do que pode vir depois desta minha explosão. Antigamente tinha a possibilidade de fugir, mas decidi nunca mais fugir. Decidi enfrentar meus próprios problemas, porque no fim das contas eles não são nada perto de todas as merdas que acontecem no mundo. Mas a verdade é que talvez eu não seja forte o suficiente para isso. Talvez eu simplesmente não consiga sobreviver com as mesmas pessoas por muito tempo ou fazer com que alguém goste de mim por muito tempo. Talvez eu esteja fardada a viver momentaneamente, quase como uma nômade. Eu realmente não sei. Mas vou tentar ser mais eu daqui para frente. Aquele “eu” que espanta muita gente que não consegue aguentar algumas verdades. Verdades precisam ser ditas. Se você acha que sua amiga ficou feia com a roupa tal, não diga “está linda!” quando ela te perguntar como aparenta. Porra, se você mente por coisas tão bobas, como espera que alguém algum dia acredite em ti? Sou daquelas que fala a verdade. Sou criticada absurdamente por isso, mas é uma das poucas coisas que aprendi a não me importar com. Tudo bem que as vezes sou grossa e não sei onde parar com as minhas verdades, mas as verdades precisam ser ditas. As pessoas precisam ter consciência de seus erros, para assim tentar consertá-los. Por isso, se você me odeia, não gosta de mim, me acha estranha ou qualquer coisa, mesmo que me machuque, ME FALE. Machucados saram com o tempo, erros podem ser irreversíveis. E sentimentos? Seja sincero em relação a eles. Se você gosta de alguém, deixe essa pessoa saber. Enche o saco conviver com gente que sabe que se ama, mas não tem coragem de admitir para si mesmo e muito menos para o companheiro em questão. Todo mundo gosta de saber que é amado e se seu amor não for correspondido, vai doer um pouco, mas você vai aprender com isso. Tem que tentar. Tem que falar o que sente. Tem que ser sincero quanto às suas opiniões. Tem que seguir suas ideologias. Tem que parar de ser um falso desgraçado como tantos outros existentes. As pessoas vão te criticar, mas cara… FODAM-SE as pessoas. Saiba que mesmo que 90% do mundo te odeie, os 10% que sobrarão farão com que tudo valha a pena. Então… É isso. Não gosta de mim? FODA-SE. Tem gente que gosta e eles valem mais do que todo o resto.

 

0 thoughts on “Well… Fuck you.

  1. Guria, você me assusta quando faz posts assim. Por via das dúvidas, não fique muito perto de uma janela ou de uma faca quando estiver pensando assim, viu? =P
    Você é uma queridinha, vá por mim, não é difícil conviver com você. E saber ouvir verdades é importante, mesmo que eu brigue com você porque você fala verdades demais para outras pessoas, tipo, a Eva, sabe? HAHAHAH.
    Mas enfim. Eu notaria se você chegasse com a cara inchada de tanto chorar.
    Te adoro.
    Beijos

    1. Ei Ana… Você faz parte do seleto grupo de pessoas que tenho absoluta certeza de que me ama. Sei que você repararia caso eu estivesse inchada de tanto chorar! Eu te amo, sabia? Porque é impossível se sentir mau quando se está perto de ti! Beijos

Comentários: